Que tipo de informação pode virar notícia?

Que tipo de informação pode virar notícia?

Por Lívia Caixeta

Nem tudo o que acontece dentro de uma empresa é notícia. Nem tudo o que imaginamos ser relevante é de interesse público, ou mesmo interessante aos veículos de imprensa. A análise para entendermos por que determinado assunto é noticiável e outro não exige que tenha-se conhecimento prévio a respeito das rotinas das redações.

No livro, “Assessoria de Imprensa e Relacionamento com a Mídia”, Jorge Duarte comenta:

“O problema é que nem sempre o que sai na imprensa é o mais importante, do ponto de vista do interesse público. Muitas vezes, o interessante, mesmo que desimportante, merece mais espaço do que o importante, taxado de desinteressante” (DUARTE, Jorge, Assessoria de Imprensa e Relacionamento com a Mídia, 2ª edição, Pág. 107)

A prospecção das informações de uma companhia está intimamente ligada a seu planejamento estratégico de comunicação. E este, por sua vez, precisa estar atento ao contexto social e econômico ao qual a empresa insere-se. É preciso ainda ter ciência, e estar preparado, para os desdobramentos que determinada informação venha a ter. Por isso, é preciso cautela ao divulgar dados de crescimentos (vendas, produção, expansão, etc.) e atentar-se ao contexto socioeconômico em que essa notícia será publicada.

Desta forma, em mais uma referência de Duarte, precisamos sempre refletir sobre a “importância” e o “interesse” na divulgação de notícias na imprensa.

“Compreender a diferença entre interesse e importância é o primeiro passo para conseguir entender o funcionamento de uma redação” (DUARTE, Jorge, Assessoria de Imprensa e Relacionamento com a Mídia, 2ª edição, Pág. 107)

Também precisamos estar preparados para as negativas. Uma maneira de evitar que determinado assunto se perca é inseri-lo em um contexto “frio”, ou seja, que tenha uma “validade” prolongada. Assim, consegue-se um intervalo de tempo maior para o contato com as redações que podem se interessar pelo material em questão.

“É comum ouvirmos de um jornalista a frase: “o assunto é importante, mas não tem espaço no jornal para isso” Ou seja, não adianta apenas que o acontecimento seja importante, é fundamental que ele seja noticiável, do ponto de vista do interesse do jornal” (DUARTE, Jorge, Assessoria de Imprensa e Relacionamento com a Mídia, 2ª edição, Pág. 114)

Outro aspecto muito importante no momento de enviar uma informação é a avaliação a respeito da linha editorial dos veículos focos:

“Cada redação de cada veículo guarda características próprias que tornam quase impossível um trabalho de aproximação da realidade” (DUARTE, Jorge, Assessoria de Imprensa e Relacionamento com a Mídia, 2ª edição, Pág. 119)

* Lívia Caixeta é Diretora da Race Comunicação

Ficou interessado sobre o assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

 

Gostou do artigo?

Assessoria de imprensa: o que é isso?

Por Treicy Keller

O que faz o assessor de imprensa? Qual a diferença entre assessoria de imprensa e publicidade? Se eu contratar os serviços de uma agência de comunicação, minha empresa conseguirá sair nos principais jornais do país? Muitas são as dúvidas em torno desta área e a nossa proposta é esclarecê-las.

Em linhas gerais, a principal função da assessoria de imprensa é servir como ponte entre o cliente atendido e os veículos de comunicação. Com isso, o assessorado (que pode ser uma pessoa física, empresa, ou instituição pública) conquista uma visibilidade positiva e de confiança junto à sociedade. Ou, nas palavras de um profissional da comunicação: conquista um fortalecimento da sua imagem.

Então, você se pergunta: “E como isso acontece na prática?”.

O trabalho do assessor de imprensa, que geralmente tem formação em jornalismo ou relações públicas, será conseguir que sejam divulgadas na imprensa notícias sobre o assessorado.

O assessor deve conhecer a fundo o cliente: histórico, fraquezas, pontos fortes, quais são seus concorrentes e como está o mercado de atuação. A partir disto, o profissional irá encontrar o potencial noticioso do assessorado, que gere interesse da mídia em publicar algo. Conheça algumas das ferramentas de trabalho que o assessor de imprensa utiliza para construir este relacionamento com a mídia:

  • Estratégias de comunicação: é a elaboração de um planejamento de trabalho que, dentre outras coisas, inclui quais serão os veículos-alvo, quais serão as editorias escolhidas (moda, gastronomia, economia, saúde etc) e quais assuntos poderão ser enviados para a imprensa. 
  • Press release, ou somente release: envio de informações em formato de texto, ou áudio quando enviado para rádio. Caso algum jornalista se interesse pelo assunto, ele utilizará o texto da assessoria em sua reportagem, ou irá agendar entrevista com a empresa.
  • Acompanhamento de entrevista: o assessor acompanha a conversa entre jornalista e cliente.
  • Follow up: trata-se de ligar para repórteres e editores com o objetivo de oferecer uma pauta (assunto); estabelecer contato com os jornalistas; confirmar se o jornalista recebeu um e-mail enviado.

Assessoria de imprensa não garante que qualquer instituição ou pessoa física aparecerá nos veículos de comunicação. Isso acontece porque a assessoria não compra espaços no jornal, este trabalho é o da publicidade.  A assessoria de imprensa conquista o espaço na mídia, sem envolver pagamentos ao jornal. Este alcance é muito mais influente e de mais credibilidade para o leitor e, portanto, pode trazer melhores resultados ao assessorado.

Com a vinda e fortalecimento do meio digital, as atividades do assessor de imprensa se expandiram. “Trabalhar a gestão de relacionamento com jornalistas ainda é importantíssimo! Mas atualmente, este profissional ainda deve ter em mente a força que o meio digital pode ter sobre a imagem de uma empresa ou personalidade. Hoje, nas agências de comunicação todos pensam como atingir também aquele blog ou rede social que está mais em alta”, alerta Rogério Artoni, diretor da Race Comunicação, agência especializada em assessoria de imprensa.

Interessado nesse assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

Gostou do artigo?
Leia mais