10 benefícios da comunicação interna

10 benefícios da comunicação interna

Por Filipe Andrade

Assim como as possibilidades e ferramentas de comunicação interna são diversas, seus benefícios dentro de uma organização também são inúmeros, tanto para a organização em si quanto para as pessoas que a compõem.

Confira alguns dos (muitos) benefícios da comunicação interna para uma empresa:

1- Credibilidade e Transparência:

No contexto da comunicação interna, veículos oficiais dão maior credibilidade à mensagem e o desenvolvimento de canais de informação com a equipe proporciona mais transparência à organização. Pesquisas apontam que, para se criar uma cultura de qualidade em determinada empresa, independente do segmento em que atua, um dos fatores levados em conta pelos colaboradores é a credibilidade da mensagem, ou seja, quanto mais respeitável a fonte, mais valorizada a mensagem (Harvard Business Review, Abril, 2014).

2- Informação rápida e precisa:

Uma nova vaga, com início imediato, precisa ser anunciada! Nada melhor que aproveitar as inúmeras ferramentas para atingir o maior número de pessoas em menos tempo. Em um veículo de comunicação interno, a comunicação é alinhada com o que a empresa pretende comunicar. Então, tudo é publicado de forma muito mais precisa.

3- Conhecimento da organização:

Assim como acontece com o público externo por meio de outros canais de informação (também conhecidos como veículos de comunicação), uma comunicação interna eficiente apresenta aos colaboradores as principais ações e projetos daquela organização. Dessa forma, os colaboradores sabem tudo o que está acontecendo na empresa. Isso é mais funcional ainda quando uma companhia tem mais de uma planta/filial e aí, a comunicação interna é fator preponderante para aumentar a integração das informações.

4- Pertencimento da equipe:

Informar ao colaborador, em primeira mão, o posicionamento, as políticas e novidades da organização geram o engajamento da equipe, que se sente “parte integrante do negócio” (ABRACOM – Caderno de Comunicação Organizacional)

5- Oportunidades de destaque profissional:

Por meio de ações de comunicação interna, a empresa conhece (e reconhece) os colaboradores que mais se destacam em determinadas áreas. Premiações, promoções, mensagens de boas-vindas a novos colaboradores e histórias de vida inspiram e incentivam os demais membros da equipe. Além disso, é possível mostrar “quem faz o quê” dentro da empresa, dando maior integração no trabalho das equipes.

6- Alinhamento e Motivação:

Em qualquer organização, quanto mais bem informados forem os colaboradores sobre as principais ações, objetivos e estratégias daquela empresa, mais motivados ficarão no desempenho de suas tarefas e mais forças serão somadas para a superação desses objetivos.

7- Troca de conhecimento:

Uma das premissas de qualquer ação comunicativa é a interação e, mais que levar informação aos colaboradores, a comunicação interna  possibilita um feedback da equipe, que, por sua vez, auxilia no direcionamento de outras ações no futuro.

8- Minimização dos efeitos de crises:

Quanto mais efetiva e dinâmica a comunicação interna, menos impacto negativo haverá em casos de crises – que, inclusive, podem ocorrer em qualquer organização. Se comunicar da maneira correta em uma crise pode ser o grande diferencial entre sair com o mínimo de prejuízo ou a falência total de uma empresa . Saiba mais sobre gerenciamento de crise aqui.

9- Potencialização de resultados positivos:

Se por um lado a comunicação interna, quando bem estruturada, reduz efeitos negativos de uma crise, ela pode, por outro, impulsionar e fomentar os ganhos para a organização. Acreditamos que a comunicação seja a chave para o sucesso de sua empresa.

10- Clima organizacional positivo:

A troca de informação não se dá apenas no âmbito colaborador-empresa. A comunicação interna contribui para ampliar as relações interpessoais, criando um clima de cooperação e interatividade. Um bom clima organizacional define como as pessoas se relacionam umas com as outras dentro do ambiente de trabalho e isso pode até incentivar o trabalho em equipe e a participação ativa dos funcionários.

Para que todos esses benefícios aconteçam de verdade é preciso ter em mente que a comunicação interna é estratégica e realmente traz resultados. Importante também manter, sazonalmente, pesquisas de clima para avaliar os caminhos que essa comunicação interna deve seguir.

Se você precisa de uma comunicação interna integrada ou avaliar como esse trabalho pode ajudar nos resultados da sua empresa, entre em contato com nossa equipe e peça uma avaliação detalhada de como os seus colaboradores podem ter uma comunicação interna eficaz, eficiente e integrada.

10 benefícios da comunicação interna

Gostou do artigo?
Leia mais

10 dicas para divulgar sua empresa no Facebook

Por Alan Mariasch

Uma plataforma online com mais de 1,5 bilhão de usuários de todas as idades e classes sociais, sendo 99 milhões de brasileiros (2º país do mundo em número de cadastrados). Índices crescentes de inclusão digital no Brasil, com 61% da população já possuindo smartphones e 105 milhões de pessoas que já tem acesso à internet.

Sabendo de tudo isso, é possível dizer que o potencial de comunicação e marketing do Facebook talvez não seja bem aproveitado pelo mundo corporativo. Mas como fazer para divulgar minha empresa nessa poderosa ferramenta chamada Facebook, e como me relacionar da forma mais adequada com meus stakeholders que estão por lá?

1- Fazer-se presente: Você compraria algo de uma empresa que não tem site? Pois algo parecido acontece com o Facebook, especialmente para organizações B2C (business-to-consumer, empresas que vendem diretamente ao consumidor final). Todas as grandes empresas, e aquelas que querem ser grandes, já têm suas fan pages. O que está esperando para criar a sua?

2- Agregar conteúdo: Com a overdose de informação a que somos expostos diariamente, fica difícil se destacar no Facebook com postagens meramente publicitárias, do tipo “Compre nosso produto, ele é ótimo!”. Elas provavelmente serão ignoradas ou ocultadas do feed dos usuários. Chegou a hora de oferecer algo a mais: um banner engraçado, um viral positivo, uma curiosidade, uma promoção, uma novidade, uma dica, um conteúdo mais interessante ou educativo etc…

3- Velocidade nas respostas: Esqueça a seção “Carta do leitor” dos jornais. Você não tem muito tempo para responder seus fãs no Facebook, ainda mais se for uma crítica ou reclamação. Caso você demore, ele pode compartilhá-la para seus amigos, o que pode fazer a bola de neve crescer exponencialmente, e você não quer que isso aconteça, não é?

4- Publicidade direcionada: O Facebook é uma das principais ferramentas online onde você pode fazer publicidade segmentando seu público por local, idade, sexo, interesses, etc, atingindo nichos específicos para captar curtidores para sua fan page e/ou patrocinar posts, aumentando sua viralização.

5- Use com moderação: OK, você entendeu a enorme importância do Facebook para sua empresa e vai começar a postar frequentemente. Ótimo! Só tome cuidado para não se tornar uma fan page com postagens a cada 10 minutos. Isso pode incomodar os usuários e corre-se o risco das informações importantes passarem batidas ou até mesmo de se tornar chatos demais. Acredito que você também não gosta de ver seu feed poluído com um único assunto!

6- Planejamento é obrigatório: Antecipe-se. Faça cronogramas mensais, com programação especial em datas comemorativas e distribuindo as postagens de forma equilibrada durante cada semana, de modo que não fique muito tempo sem se comunicar com os usuários ou não abuse de postagens frequentes ou de postagens que falem apenas de datas comemorativas.

7- Invista em qualidade: Pesquisas do próprio Facebook indicam que o conteúdo visual é o que mais se destaca na rede, quando comparado àqueles com apenas texto. Portanto, se você não domina ferramentas de design, como Photoshop, Indesign, Illustrator, Corel não se aventure no Paint ou no Power Point: contrate um profissional para fazer seus banners e você verá os resultados (a Race pode fazer isso para você!). Também é possível criar vídeos para as redes e isso trará mais acessos ainda.

8- Estimule a viralização: Entenda seu público-alvo, isso é essencial para a produção de conteúdo. Ele gosta de um conteúdo mais complexo ou procura apenas diversão? Qual é sua faixa etária? A equação do post viral é complexa, mas passa por alguns fatores fundamentais: horário da postagem, originalidade, humor e sensibilização. Além do que, vídeos virais positivos são aqueles que trazem algo original ou de um forma diferente. Para se criar um conteúdo inovador é necessário muito mais preparação e estudo de mercado.

9- Benchmark: Estude como seus concorrentes usam o Facebook. Também é importante estar atento aos cases de sucesso da rede, mesmo aqueles que são de outros segmentos. É vital estar sempre atento às novas tendências da internet e às mudanças frequentes do Facebook, que constantemente agrega (e retira) ferramentas, muda layouts, atualiza regras, etc.

10- Meça os resultados: Todo esse trabalho só terá sentindo se você medir sua eficiência. Analise seus posts, excluindo do próximo cronograma aqueles com baixo retorno e investindo naqueles que tiveram sucesso. Estude atentamente as estatísticas fornecidas pelo Facebook: horários que os fãs que estão mais online, taxa de envolvimento dos posts, evolução do número de curtidores, etc. Estudos apontam que a comunicação deixou de ser subjetiva e que, sim, é possível estabelecer metas capazes de comprovar o planejamento estratégico.

Está procurando por uma empresa para cuidar da gestão de suas redes sociais? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

Gostou do artigo?

A importância da mensuração no trabalho de comunicação empresarial

Por André Ranieri

Um trabalho de comunicação corporativa (assessoria de imprensa, comunicação interna ou gerenciamento de redes sociais) pode ter sido bem feito, colhido bons resultados e atingido as metas desejadas, mas ao mesmo tempo pode não ser reconhecido como deveria. Como? Simples! Com um relatório de resultados deficiente.

A partir do momento em que a parceria entre a agência de comunicação e o cliente é firmada, uma série de etapas se inicia. Começam as reuniões para entender melhor os objetivos da empresa, para demarcar as estratégias que serão usadas, os veículos que serão visados, os porta-vozes que serão utilizados, qual será a linha editorial do jornal interno, o público-alvo nas redes sociais, etc. Todo esse processo é variável, às vezes dura apenas um dia, outras vezes dura anos. Mas independente de sua validade, um elemento irá comprovar, ou não, se o trabalho foi bem feito: o relatório final de resultados – que normalmente é entregue periodicamente.

Esse balanço deve apresentar, através de técnicas de mensuração, tudo que foi obtido na parceria e se as metas desejadas foram alcançadas. O cliente sempre busca resultados palpáveis, ele não quer simplesmente a quantidade de matérias publicadas, de newsletters enviados ou de publicações no Facebook. Ele quer mais. Ele quer saber quantas pessoas foram atingidas, o perfil delas, o que isso representa monetariamente, a repercussão, os pontos positivos, negativos. Quanto melhor e mais completo for o relatório, melhor será a impressão sobre o trabalho da agência de comunicação.

Um relatório de resultados bem feito, por exemplo, não é capaz de alavancar um trabalho mal feito. Por outro lado, um relatório mal feito consegue arruinar um trabalho bem feito. Por isso, é fundamental para a agência entender realmente o que o cliente está buscando, desenvolver uma estratégia de acordo com estes objetivos, e, ao final de tudo isso, conseguir MOSTRAR ao cliente que as metas foram alcançadas (ou – por que não? – superadas!).

* André Ranieri é assessor de imprensa na Race Comunicação

Ficou interessado sobre o assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

Gostou do artigo?