Race Comunicação é a assessoria de imprensa da Power3 Esportes

Race Comunicação é a assessoria de imprensa da Power3 Esportes

Parceria tem como objetivo potencializar o apoio ao esporte por meio do patrocínio de triatletas de ponta e, popularizar a prática esportiva como meio de desenvolvimento da cidadania

Goiânia, 20 de Maio de 2013 – A Power3 Esportes, empresa que importa e distribui produtos exclusivos para natação, corrida e ciclismo, inicia suas atividades de assessoria de imprensa em parceria firmada com a Race Comunicação. O objetivo da união das duas empresas é ampliar a divulgação das ações da Power3 Esportes em sua missão de apoiar o esporte em geral.

A Power3 foi fundada em 2008, mas iniciou suas operações em 2010, durante a maior prova de triatlo do Brasil, o Ironman Brasil. Os objetivos do negócio são importar e distribuir produtos de alta qualidade com preços competitivos para o mercado brasileiro e fomentar a prática esportiva como fator de mudança social.

“Acreditamos que o esporte fomenta e desenvolve a cidadania plena. A Power3 acredita que a educação, a prática esportiva e o meio ambiente (ecologia) estão intimamente ligados no desenvolvimento de uma sociedade avançada. Nossa idéia é fortalecer esse conceito com ações práticas em essas três disciplinas”, afirma um dos sócios da empresa, e triatleta amador, André Maule.

Race Comunicação 
A Race é uma agência de jornalismo, que atua no mercado de comunicação corporativa e de eventos, em todo o Brasil. A empresa dos sócios Rogério Artoni (fundador) e Lívia Caixeta tem escritórios em São Paulo e Goiânia, prima pela agilidade, exclusividade e credibilidade das informações e excelência no atendimento aos jornalistas, parceiros, colaboradores e fornecedores de seus assessorados.

Site da Race Comunicação
Site da Power3 Esportes
Facebook da Race Comunicação

Informações para a Imprensa: 
Race Comunicação
(62) 3085-2923

Lívia Caixeta – liviacaixeta@agenciarace.com.br

Gostou do artigo?

O bom relacionamento profissional e a assessoria de imprensa em Goiás

Por Lívia Caixeta

Foi-se o tempo em que bastava ter um bom contato e relacionamento pessoal com os jornalistas das redações para facilitar a “venda” da pauta. Esta foi uma característica muito marcante no mercado de assessoria de imprensa em Goiânia, há até bem pouco tempo. O fato de existirem poucos veículos de imprensa na capital goiana viabilizava ainda mais esta prática.

Contudo, a profissionalização e a expansão do mercado fizeram com que muito mudasse. O assessor de imprensa assumiu uma função estratégica dentro de algumas empresas. Ao mesmo tempo em que os veículos de comunicação também cresceram e passaram a observar outros aspectos da sociedade. A prática do jornalismo também mudou devido, principalmente, à visibilidade que Goiás passou a ter no âmbito nacional.

A cordialidade de um grande empresário, ou socialite, ou de qualquer outra pessoa com algum destaque social já não era suficiente para que o assunto divulgado ganhasse relevância. Agora, a sugestão de pauta deve conter os preceitos básicos que são estudados nas aulas de Teorias da Comunicação e Produção de Texto Jornalístico, nos tempos da faculdade. A relevância social do assunto sugerido tornou-se aspecto primordial nesta relação.

Hoje, temos telejornais e jornais bastante preocupados em denunciar os deslizes e falhas das políticas sociais e econômicas. Por todos os cantos do Brasil, existem revistas especializadas em temas diferentes. A internet fez com que a informação circulasse mais rápido. E, tudo isso, exige que o profissional da assessoria de comunicação, e não mais apenas “imprensa”, se inteirasse dos assuntos da atualidade e que seja capaz de relacioná-los, em seus diversos aspectos, com temas de seu assessorado.

O coleguismo e a amizade ainda valem. Mas, já não são mais decisivos neste processo. É bom estarmos sempre alerta e por dentro do que acontece a nossa volta para não sermos pegos de “calças curtas”.

Interessado nesse assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

Gostou do artigo?