Transparência e agilidade são fundamentais em uma gestão de crise

Por Daniela Dálio

Uma das situações mais temidas tanto por assessores e agências de comunicação quanto pelos assessorados é o gerenciamento de uma crise na imprensa. Realmente é um processo muito delicado e que exige total transparência e agilidade nas ações para um correto gerenciamento da imagem e da reputação de uma empresa.

Não existe uma fórmula 100%, mas alguns princípios básicos devem ser adotados para minimizar os efeitos negativos da exposição da crise.

Um destes princípios é sempre tentar se antecipar a uma crise mapeando junto ao cliente possíveis temas, dados, informações que apresentam uma sensibilidade. Para isso, a parceria entre a agência e cliente deve ser muito bem estabelecida e sólida o suficiente para uma análise crítica das informações.

Ter um manual de processos de comunicação em casos de crise e também um comitê formado por executivos estratégicos, com suas devidas funções definidas previamente, também são de grande valia no momento de definição de ações. Com isso, é possível otimizar o tempo e ter chances de tomar decisões mais acertadas.

Instalada a crise, um planejamento estratégico para gerenciamento é primordial. Colete o máximo de informações e defina ações em conjunto com o cliente. A transparência nas informações, nesta hora, é fundamental para uma comunicação assertiva. De novo, aqui, entra a confiança e relacionamento entre agência e cliente.

Por fim, o monitoramento de tudo o que é veiculado pela imprensa impressa e eletrônica e nas redes sociais, bem, como uma avaliação constante das ações tomadas.

0/5 (0 Reviews)
Gostou do artigo?