Comunicação integrada: redundância do século XXI

Por Filipe Andrade

Certo dia ouvi de um professor de comunicação que “comunicação integrada é redundância”. Por incrível que pareça, a afirmação reflete a atual dinâmica do mercado e a forma de se fazer comunicação.

Em pleno século XXI, era da informação e da ascensão das redes sociais na internet, uma organização não faz (ou menos pelo menos não pode fazer) apenas comunicação interna ou somente assessoria de imprensa, por exemplo. As empresas, do presente e do futuro, precisam desenvolver, acima de tudo, comunicação no sentido mais abrangente do termo.

Ou seja, a comunicação integrada deve fazer parte do dia a dia de qualquer organização na atualidade. E, conforme aponta Marcelia Lupetti, autora do livro “Gestão estratégica de comunicação mercadológica”, “planejar a comunicação [integrada] exige interação, unificação de mensagem, instruções, boa vontade e envolvimento de todos os colaboradores”.

É importante ressaltar ainda que não se trata apenas de replicar um conteúdo para diferentes públicos e em diversos meios, mas trabalhar uma única mensagem através de ferramentas diversas, utilizando linguagens adequadas à cada meio.

Vamos partir do pressuposto que, em uma empresa, todos os indivíduos que a compõem são também seus porta-vozes. Nesse sentido, se uma empresa direciona seus esforços apenas à comunicação interna, ela ainda terá sua imagem repercutida externamente, seja nas redes sociais ou em rodas de amigos no dia a dia. Um exemplo é a Campanha da Always, “Like a girl”, de 2015.

Por outro lado, se ela resolve trabalhar apenas com assessoria de imprensa, ela corre o sério risco de não ter sua imagem referendada pelos seus colaboradores, por exemplo, pelo simples fato de eles não conhecerem as estratégicas e objetivos daquela empresa, pois esse cenário não foi trabalhado internamente.

Não faz sentido também investir em marketing digital, ações com influenciadores digitais, se sua imagem interna, seu clima organizacional, não reflete aquilo que é trabalhado externamente.

Desta forma, mais que um diferencial, a comunicação integrada torna-se um dever de qualquer organização cujo objetivo é transmitir de forma eficiente sua mensagem a diferentes públicos e reforçar sua imagem junto à sociedade.

0/5 (0 Reviews)
Gostou do artigo?