Streaming corporativo: o que é e como fazer

Por Filipe Andrade

Com uma comunicação corporativa cada vez mais voltada às múltiplas plataformas, a utilização de conteúdos de streaming tem se tornado um grande aliado na publicação de informações e relacionamento com os públicos.

 

Essa estratégia também se revela um desafio, já que sua popularização exige cada vez mais da organização a capacidade de inovar e se diferenciar. E o novo sempre sai na frente.

 

O Sebrae, que atualmente oferece consultoria para o desenvolvimento desse tipo de conteúdo, define serviços de streaming como “uma tecnologia inovadora que permite que usuários conectados à internet assistam ou ouçam áudios, ao vivo ou sob demanda. A transferência de dados é realizada pelo fluxo contínuo pela web, sem a necessidade de o usuário baixar (ou fazer o download) de um pacote de dados”. Representa, portanto, “uma nova abordagem corporativa para a produção de eventos”.

 

E as possibilidades e sites de streaming são inúmeros. Talvez o mais popular seja o YouTube, que, além de oferecer a opção de postagem de vídeos, possibilita a transmissão de vídeos ao vivo. Especificamente para o ambiente corporativo, a Microsoft, por exemplo, lançou, no ano passado, o Stream, que permite que os usuários postem e/ou compartilhem vídeos e áudios para o público interno da empresa.

 

Por outro lado, é indispensável estar atento a algumas dicas para garantir a qualidade do produto final, conquistar acessos e, consequentemente, fidelizar o público.

 

Planeje: seja específico sobre seu produto e sobre o público que deseja atingir. A informação deve ter um destino e um objetivo bem definido.

 

Profissionalismo é tudo: invista em equipamentos de qualidade. O produto (seja áudio ou vídeo) dependem não apenas do conteúdo, mas da forma como é produzido. E não se esqueça da qualidade da internet!

 

Informe aquilo que é relevante: pode até ser redundante quanto ao primeiro ponto, mas é fundamental reafirmar, informe aquilo que é de interesse público (ou, neste caso, do seu público). Informação sem relevância, além de não atrair acessos ou visualizações, acabam desinformando e minando a credibilidade da organização, impedindo que, no futuro, as pessoas tenham interesses por outros conteúdos, por mais relevantes que sejam.

0/5 (0 Reviews)
Gostou do artigo?