A retomada dos eventos presenciais: como se (re)encontrar com segurança?

A retomada dos eventos presenciais

Por Flávia Giraldes

 

Depois de quase dois anos em casa, com encontros pontuais no escritório e ainda muito distanciamento, as equipes de várias empresas encaram a melhora nos números da pandemia pelo Brasil como uma possibilidade de retomarem efetivamente os trabalhos presenciais.

Durante esse extenso período em home office, vários times foram formados sem se conhecer ou interagir presencialmente. Nessa retomada, o que fazer para que os funcionários estabeleçam uma conexão genuína, dessa vez cara a cara?

Em vez de voltar direto para a rotina corporativa no escritório, algumas empresas preferem organizar eventos presenciais em um ambiente neutro. Esse reencontro dá aos colaboradores a oportunidade de molhar os pés nessa nova realidade profissional, em que o formato híbrido de trabalho, flexibilidade, máscara e álcool em gel vieram para ficar.

Para a organização de um evento assim, quais são os pontos que merecem atenção? Como torná-lo um momento de crescimento e descontração? Confira a seguir uma lista com sete itens a se considerar para a organização de encontros corporativos no pós-pandemia:

1) Espaço para eventos

Estando fora do escritório, é interessante buscar um local de fácil acesso aos colaboradores, com muitas áreas abertas (mas também um bom espaço coberto, caso chova), e capacidade superior ao número de convidados. Isso oferece uma ótima ventilação e garante que o distanciamento social seja respeitado sem problemas.

2) Alimentação

A depender do tempo de duração do evento (manhã, tarde ou o dia todo), será necessário chamar um buffet. São várias as opções: café da manhã, almoço, lanche, brunch ou happy hour.

É importante pensar em como os convidados vão ter acesso à comida. O sistema de self service, em que cada um passa com seu prato e se serve, é menos seguro pois todos tocam nos utensílios para se servir, e existem duas opções para substituí-los: contar com uma pessoa para montar os pratos ou oferecer serviço volante, com garçons.

3) Comprovante de vacinação

Entre novas portarias, que não possuem força de lei, e decisões do STF a respeito do assunto, não há até o momento legislação específica a respeito da exigência ou não da imunização por empregadores aos funcionários.

O Ministério Público do Trabalho divulgou em fevereiro deste ano um guia esclarecendo que a vacinação é medida de proteção coletiva e, portanto, dever tanto de empregadores quanto de empregados. “O interesse coletivo deve se sobrepor aos interesses individuais, conforme determina a CLT”, afirmou.

Caso tenha dúvidas, consulte seu jurídico para avaliar como proceder e garantir que o ambiente seja seguro a todos.

4) Testagem

Existem diversos testes de COVID-19, os quais podem dizer se a pessoa está contaminada no momento, esteve contaminada nos últimos dias ou desenvolveu anticorpos devido a uma infecção passada.

Para eventos presenciais, um teste de antígeno rápido pode trazer segurança aos convidados. Na semana do evento, é possível solicitar a todos os colaboradores que realizem esta modalidade de teste em uma farmácia ou laboratório perto de casa e enviem o resultado pelo menos três dias antes da data do encontro para os organizadores.

Na porta do espaço, pode-se também organizar uma nova testagem rápida, com resultado em menos de meia hora, garantindo que todos estejam com resultado negativo, inclusive as pessoas contratadas para trabalhar no dia.

5) Pulseiras coloridas

A saudade dos colegas é real! Ainda assim, nem todos vão reagir da mesma forma em eventos e a etiqueta social ainda não está consolidada sobre interações pós-pandemia. Para garantir que cada um se sinta o mais confortável possível, é legal pensar em pulseiras coloridas (podem ser de borracha ou material Tyvek) para representar o nível de interação desejado.

Por exemplo, vermelho seria ‘não quero me aproximar, sem toques’, amarelo estaria para ‘toquinhos de mão, mas sem abraços’ e verde como ‘abraços e beijos no rosto liberados’. Apresente os níveis de interação com antecedência, assim cada um pode pensar e escolher onde se encaixa melhor, sempre respeitando quem possui uma dinâmica diferente.

6) Card de regras

Muitas pessoas estão voltando à rotina e precisam estar atentas a novas normas. Um jeito de se adiantar a possíveis questionamentos é espalhando pelo local e encaminhando antecipadamente cards explicando algumas novas regras.

Alguns exemplos: compartilhar copos, talheres e cigarros não é permitido; o uso de máscara até chegar à casa de eventos é obrigatório; quem apresentar sintomas virais ou tiver contato com uma pessoa que apresentar esses sintomas não deve comparecer ao evento, entre outras recomendações.

7) Atividades nos eventos

Este possivelmente é o maior desafio: como transformar um evento de reencontro em uma tarde memorável, que dê gás para as próximas conquistas e seja o pontapé para a retomada ao trabalho presencial, ainda que combinando com o home office algumas vezes na semana?

Pense na dinâmica da sua empresa e de seus colaboradores para avaliar qual será a melhor pedida. Existem grupos especialistas em soluções corporativas para eventos, trazendo dinâmicas teatrais, apresentações individuais e música para esse momento. Vale lembrar que os colaboradores podem apresentar algum talento nesse momento, preenchendo o dia com trocas incríveis.

Para fechar esse dia com chave de ouro, um happy hour é o momento perfeito para que todo mundo possa descontrair, compartilhar um pouco de si e conhecer mais as pessoas de quem ficaram distantes por tanto tempo.

Pensou em comunicação para a sua empresa? A Race pode te ajudar em todas as etapas, auxiliando na estratégia e dia a dia do seu negócio. Entre em contato conosco e saiba mais.