Processos para despertar a criatividade

Processos para despertar a criatividade

Quem trabalha com desafios criativos sabe a importância de estabelecer processos para a despertar a criatividade no dia a dia. Embora isso seja essencial para o andamento do trabalho e o cumprimento de prazos, sabemos que a criatividade e a inspiração passam por desafios e bloqueios mentais. Afinal, quem nunca precisou escrever um texto, ou criar uma arte publicitária, e ficou por minutos – e até horas – encarando a tela do computador, em busca de uma luz? Por isso, precisamos de algumas técnicas para hackear a nossa criatividade.

Poucos sabem que o processo criativo começa muito antes de começar a escrever ou desenhar. Mentes criativas precisam ser estimuladas. Tudo o que recebemos do ambiente externo tem muita influência na organização de tarefas e no surgimento de ideias, das mais banais até às mais inovadoras.

Para isso, precisamos sair da rotina que estabelecemos diariamente, começando com pequenas ações, como fazer um caminho diferente para o trabalho, ir a lugares novos, experimentar um novo prato, meditar ou começar um hobby que você sempre adiou. Partindo para ações que envolvam um tempo e investimento maior: viajar, aprender uma nova língua, fazer um curso. Tudo isso contribui para que a mente se mantenha ativa e pense “fora da caixa”, como muitos gostam de falar.

Perfis corporativos: 5 dicas para acertar nos Stories do Instagram

No entanto, quando o deadline está estourando, a conversa é outra. O prazo é curto, a missão é trabalhosa e a inspiração não vem. Não saber por onde começar é muito comum – como dito anteriormente, nosso cérebro gosta da inércia. E é isso que devemos quebrar em primeiro lugar para desenvolver processos para despertar a criatividade.

Uma dica para esse momento é: comece, sem se importar com o que está criando. Escreva as primeiras palavras que vem à mente, sem se importar se fazem algum sentido (como a técnica de cut up, utilizada por músicos famosos como David Bowie e Kurt Cobain). Depois, junte as frases e transforme-as em parágrafos, ajustando e aperfeiçoando os detalhes do texto, dando sentido a ele.

Outro hack que podemos utilizar antes de começar ou quando estivermos no meio do processo criativo é buscar referências. Roube. Sim, roube! Mas não faça igual. Roube aquela ideia que você achou genial e a transforme em algo melhor, adaptado para a sua realidade. Mantenha uma pasta em seu celular, computador ou no próprio Instagram com suas referências. Afinal, boas ideias são a melhor fonte de inspiração.

A terceira dica é: olhe o problema de fora. Esse é motivo para os famosos brainstorms das agências envolverem, na maioria das vezes, pessoas que não estão envolvidas com a conta. Quando você sai da perspectiva de pessoa inserida no contexto fica mais fácil desenvolver novas estratégias e caminhos para a solução. Quanto mais incorporamos esse modus operandi e pensante no cotidiano, fica cada vez mais fácil deixar a imaginação e a criatividade fluir. E você, o que costuma fazer para fazer da criatividade um processo?

Por Bárbara Christan

Gostou do artigo?