INSIGHTS

Assessoria de imprensa reativa

Por Núbia Neves

Nem só de notícias positivas vive uma empresa. Verdades ou mentiras são usadas contra empresas, produtos e serviços todo o tempo na mídia. Esse é mais um dos motivos que comprovam a importância de ter uma assessoria de imprensa. Quando trabalhamos com empresas ou assuntos polêmicos, é muito importante que estejamos sempre preparados para lermos matérias que coloquem em cheque a confiabilidade das marcas.

É impossível controlar a mídia. Blogueiros, sites, formadores de opinião, publicam a toda hora informações que podem ser opiniões pessoais ou possuírem embasamentos e comprovações. Essas matérias são difíceis de serem previstas. Por isso, manter o monitoramento em todos os tipos de mídia é a melhor forma para estar preparado.

Através da checagem diária, assim que uma matéria negativa é publicada é possível entrar em contato com o jornalista ou com o especialista usado como fonte para a notícia. É muito importante que a empresa, juntamente com a assessoria de imprensa, prepare um Q&A (Questions and Answers) que preveja perguntas e respostas com informações negativas e positivas que podem ser ditas. Com esse material em mãos, o contato com quem disseminou a informação é muito mais ágil e eficaz.

É importante ter em mente que nem sempre as informações negativas geradas por um veículo jornalístico são culpa do jornalista. Os repórteres e editores têm como obrigação consultar especialistas sobre os assuntos que vão tratar, e esses especialistas, normalmente, têm embasamento para tratar desses assuntos. Portanto, tenha sempre que possível preparadas suas “provas” de que o que estão dizendo está errado.

Pode ser que a matéria não seja modificada, principalmente quando se trata de um material impresso, porém, se conseguirmos mostrar para o jornalista que a informação não era correta, a chance dela se repetir é muito pequena. Além disso, no melhor dos casos, a empresa ou produto, pode entrar na lista de porta-vozes do jornalista, fazendo com que sejam procurados para uma próxima matéria.

* Núbia Neves é Assessora de Imprensa na Race Comunicação

Interessado nesse assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

Gostou do artigo?

O que é um Q&A?

Por Rogério Artoni

Q&A, ou Questions and Answers, (do português: perguntas e respostas) é uma ferramenta bastante utilizada em assessoria de imprensa. Este documento, muitas vezes sigiloso, contém possíveis perguntas e também prováveis respostas para muitos assuntos de uma empresa, serviço ou produto.

Para cada ação com a imprensa é possível preparar um Q&A que preveja as prováveis perguntas de um jornalista. Desta forma, o porta-voz se prepara melhor para uma entrevista e não é pego de surpresa na hora daquela pergunta mais complicada de se responder.

Para preparar um Q&A é muito importante ter em mente o que um jornalista pode perguntar em torno daquele assunto. Imagine que uma empresa pegou fogo e haverá uma coletiva de imprensa. No momento que a coletiva é aberta para perguntas, pode haver questionamentos que o porta-voz não saiba responder e neste momento o Q&A será útil, pois terá uma reposta pensada, para que ele não fale algo que comprometa a empresa.

Cada companhia pode ter diversos Q&As preparados para situações específicas: um institucional, um para crises, um para cada produto ou serviço, um apenas para questões de recursos humanos, entre outros casos que surgirem e que necessitem de um contato com a imprensa.

Para ser o mais estratégico possível, este documento deve ser respondido em conjunto com a assessoria de imprensa, departamento de comunicação da empresa e muitas vezes até mesmo com o departamento jurídico. É importante também que o porta-voz tenha em mente todas as respostas previstas no Q&A para que as informações estejam alinhadas com as estratégias da companhia.

* Rogério Artoni é diretor da Race Comunicação

Interessado nesse assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

Gostou do artigo?

A importância da assessoria de imprensa para empresas internacionais

Por Alan Mariasch

O Brasil nunca esteve tão em evidência no mundo e cada vez atrai mais a atenção de organizações multinacionais. E não apenas por causa da Copa do Mundo, mas graças ao grande potencial de sua economia, que apesar de muitos desafios burocráticos, sociais e gargalos logísticos, cresce num ritmo mais acelerado do que tradicionais potências como Itália e Espanha. Mas em termos de comunicação e relacionamento com a imprensa, como as empresas estrangeiras devem se planejar quando desejarem se estabelecer no Brasil?

Para Alice Bonasio, gerente de comunicação do Mendeley, rede social para pesquisadores acadêmicos com sede em Londres e atuação mundial, há inúmeras vantagens em uma empresa multinacional contratar uma agência de comunicação brasileira, quando desejar abrir um escritório ou expandir suas operações por aqui: “Além do lado logístico, para mim a vantagem mais importante é ter uma presença local que entenda como funciona o mercado, saiba quem são as pessoas influentes, e que já cultive relacionamentos com essas pessoas. Isso te dá a habilidade de construir seus planos com muito mais confiança, pois sabemos que, tendo uma boa ideia, essa ideia vai chegar aos ouvidos certos”.

Algumas empresas optam por realizar o trabalho de assessoria de imprensa a partir da matriz, localizada no exterior, mas sem obter os mesmos resultados. “Relações públicas, no final das contas, são sobre relacionamentos, e o elemento de estar perto, fisicamente, acaba contando. E-mail e telefone são ferramentas úteis e eu mantenho contato direto com muitos jornalistas no mundo inteiro, mas no final das contas, muitas ideias só rolam mesmo num almoço ou com um cafezinho. Tendo uma assessoria de imprensa que entenda a sua empresa e trabalha como uma extensão dela, você tem muito mais opções”, afirma Alice.

A escolha da agência deve ser um processo bem criterioso. A empresa necessita explicar exatamente quais são suas expectativas no país e a agência precisa ser realista e alinhar a demanda do cliente com aquilo que é possível de ser realizado. Alice acredita que “a seleção deve ser feita com cuidado e com honestidade dos dois lados. O cliente tem que ser muito honesto quanto às expectativas (resultados esperados, dentro de quanto tempo, etc) e a agência tem que ser transparente sobre o número de pessoas que vão trabalhar diretamente com ela, quantas horas serão dedicadas ao atendimento, quais os meios de comunicação e como será medido o sucesso desse trabalho”.

Por fim, não basta apenas contratar a melhor agência, mas é necessário fornecer a ela as condições para que desempenhe o melhor trabalho. “Um porta-voz que fale português é muito útil, pois dá aquele senso de conexão com o mercado brasileiro, mas o mais importante é ter uma história boa para contar, através da qual você possa promover a empresa e tudo aquilo que ela representa. Mas eu acredito que uma boa assessoria de imprensa te ajuda não só a chegar nas pessoas, mas por entender o mercado e as necessidades de cada jornalista e veículo, ela vai te ajudar a criar campanhas e histórias relevantes e de alto impacto para promover a sua empresa”, conclui Alice.

* Alan Mariasch é Executivo de Contas na Race Comunicação.

Ficou interessado sobre o assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

Gostou do artigo?

10 benefícios de ter assessoria de imprensa

Por Rogério Artoni

Você já deve saber como é importante a comunicação nas empresas, mas como ela pode ser uma aliada aos seus negócios? Nós já explicamos aqui no Blog da Race, o que é uma assessoria de imprensa  e quando uma empresa precisa desse serviço. Mas é importante frisar que através da assessoria de imprensa, uma das ferramentas da área da comunicação, é possível obter diversos benefícios.

1.       Ter sua marca nos veículos de comunicação

Mesmo sem publicidade é possível aparecer nos veículos de comunicação. Através da assessoria de imprensa , de um planejamento bem alinhado e estratégias eficazes, sua empresa ou seus produtos podem virar notícias.  De forma positiva, você pode ter publicações nas páginas de revistas, jornais, rádios, tevês e sites de várias editorias. (Entenda a diferença entre assessoria de imprensa e publicidade aqui)

2.       Fortalecimento de marca

Com estratégias alinhadas às diretrizes de sua empresa, é possível fortalecer sua marca ou seus produtos com consumidores potenciais. Sua empresa aparecendo de forma positiva nos veículos de comunicação, impacta stakeholders, conhecidos também por públicos de interesse . Desta forma, fortalece sua marca ou produto com formadores de opinião e aumenta sua reputação com eles.

3.       Produtos e serviços viram notícia

Imagine que seu produto tem alguns diferenciais importantes em relação aos concorrentes, mas o que adianta se seus consumidores não sabem disso? É exatamente neste ponto que a assessoria de imprensa trabalha, buscando transformar esses diferenciais em notícias, sempre com informações positivas. Com estratégias bem feitas é possível mostrar para a imprensa esses pontos relevantes e colocar seu produto ou serviço em destaque na mídia.

4.       Vire especialista para um jornalista

Jornalistas que atuam nos veículos de comunicação precisam de fontes, também conhecidos como porta-vozes, para elaborar uma matéria. Assim sendo, você pode virar esse especialista para este repórter e ser consultado sempre que ele tiver uma matéria relacionada com o seu tema e, por consequência, ter exposição na mídia.

5.       Aparecer para quem interessa

O trabalho de assessoria de imprensa está sempre buscando publicações de seus assessorados em veículos de comunicação que são relevantes para o cliente. Então, o ponto principal aqui é aparecer para quem interessa gerando mais negócios e até, possivelmente, abrindo novos mercados. Tudo alinhado com as estratégias da empresa.

6.       Melhora o posicionamento do seu site no Google e outros buscadores

Com diversas matérias publicadas em vários sites de notícias, em alguns casos com link para o seu site, sua visibilidade perante o Google e outros buscadores melhora muito. Desta forma, o trabalho de assessoria de imprensa ajuda também no seu posicionamento no ranking desses buscadores.

7.       Ajuda na contratação de novos funcionários

Parece não ter muita relação, mas uma empresa que está na mídia gera interesse de potenciais novos empregados. Imagine que você está procurando um emprego e uma empresa da sua área aparece em um veículo de comunicação muito relevante, você não vai mandar o seu currículo para lá?

8.       Potencializa ações de marketing

Muitas vezes, ações de marketing têm despesas já orçadas para publicidade, eventos, contratação de stand, mas nem sempre contempla assessoria de imprensa. Porém, em muitos momentos a assessoria de imprensa pode ser tão essencial quanto o próprio evento, para alcançar os resultados esperados. Ela pode ser crucial para conseguir participantes, gerar buzz na mídia ou mesmo para mostrar para o seu consumidor a ação promocional que você fez.

9.       Treinamento de porta-voz para falar com jornalistas

Apesar de o diretor ou presidente ser sempre uma pessoa muito qualificada em vários aspectos, muitas vezes eles nunca tiveram contato com a mídia. Neste caso um media training, também conhecido como treinamento de imprensa, pode ser essencial para obter os melhores resultados. Através desse treinamento, com simulações de entrevistas, eles entendem a importância de falar com jornalistas, mesmo em caso de crise. Estes porta-vozes aprendem também como passar uma mensagem da forma correta, como lidar com esses profissionais, entre outros benefícios importantes.

10.   Gerencia crises

Nem só de boas notícias vive uma assessoria de imprensa. Em momentos de crise, este serviço pode ajudar a mitigar o problema e em alguns casos reverter a situação. Com transparência e proatividade com a imprensa, é possível mostrar o seu lado da história e não deixar uma crise ficar pior ainda. Lembre-se que é melhor você falar do que os outros falarem por você.

* Rogério Artoni é diretor da Race Comunicação

Interessado nesse assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

Gostou do artigo?
Leia mais

O que é um porta-voz?

Por Marianne Mitsui

Toda empresa está sujeita a uma intensa exposição na mídia, rodeada por diversos tipos de veículos de comunicação. Para saber como lidar com a imprensa apropriadamente, as organizações precisam de um porta-voz que fale por elas, a fim de transmitir mensagens adequadas e transparentes. Trata-se de um profissional hábil para explicar assuntos complexos de forma clara e, portanto, atender a mídia de modo eficaz. 

O porta-voz entende o funcionamento de todo o processo jornalístico, sabe como se portar diante de câmeras, em entrevistas ou eventos e reconhece a importância da mídia e da assessoria de imprensa. Para que esses profissionais estejam preparados para lidar com a empresa, muitas vezes é importante que ele passe por um media training.

O media training é uma estratégia fundamental para a agência antes da realização de ações. A capacitação é aplicada de diferentes maneiras, seja através de workshops, palestras ou simulação de entrevistas.

* Marianne Mitsui é Assessora de Imprensa na Race Comunicação.

Ficou interessado sobre o assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

Gostou do artigo?

O que é um position paper?

Por Núbia Neves

Muitas vezes na assessoria de imprensa, um trabalho proativo e reativo caminham lado a lado. É sempre muito importante esperarmos o melhor, mas nos prepararmos para o pior. O jornalista, na maioria dos casos, sempre procura mais de um porta-voz para suas matérias e, por esse motivo, opiniões controversas ou até informações erradas sobre seu cliente ou área podem surgir. Gerenciar a comunicação de forma estratégica e estar pronto para responder em casos de crises, é muito importante. Mas como fazer isso?

O Position Paper (PP), ou carta de posicionamento na tradução em português, pode ser uma ótima ferramenta para entrar em contato com o jornalista.

Através do PP é possível nos posicionarmos a respeito de uma matéria, solicitando uma mudança ou, somente, apresentando outras informações para o jornalista se basear em uma próxima publicação sobre o tema. Algumas vezes, principalmente quando a matéria for publicada em veículos impressos, a mudança é difícil de ser feita, porém, com um bom material seguido de um bom follow-up, a efetividade é comprovada quando, simplesmente, o erro não volta a acontecer.

Como fazer um bom Position Paper:

  • Deve-se explicar o motivo do contato. Muitos jornalistas escrevem muito mais de uma matéria por dia e podem não se lembrar da matéria em questão, sempre deixe claro o nome, o dia e a editoria da publicação;
  • Ofereça informações básicas sobre o tema. Sempre introduza o assunto explicando, mesmo que novamente, a pauta que foi trabalhada, é uma forma de ajudar o jornalista a lembrar;
  • Demonstre a importância do tema à sociedade e para sua empresa, desta forma o jornalista dará ainda mais atenção ao seu pedido;
  • Seja direto. Não precisa ficar “floreando” e apresentando muito mais argumentos além dos necessários, mantenha o foco no que você deseja mudança sem medo de ser sucinto demais, jornalistas possuem pouco tempo e quanto mais denso for o texto, menos atenção ele dará a ele;
  • Inclua bibliografia. Dependendo do assunto é importante que haja fundamentação. Se puder colocar algum artigo, estudo ou a opinião de alguma pessoa referência no assunto, melhor.

Todos esses pontos são importantes, porém, o follow-up após o envio é o ponto que deve ser levado mais a sério. Por receberem muitos e-mails todos os dias, o seu pode passar batido. Faça uma simples ligação para confirmar o recebimento, isso pode ser decisivo na efetividade do Position Paper.

Se você busca uma empresa para gerenciar este tipo de situação com a imprensa, entre em contato com a Race Comunicação.

Gostou do artigo?

O que é gerenciamento de crise?

Por Alan Mariasch

Todas as organizações estão sujeitas a passar por situações de anormalidade e tensão, de maior ou menor intensidade. Sendo assim, o gerenciamento de crise é uma atividade que visa minimizar, reduzir ou se possível eliminar os impactos causados por essas adversidades, para que a empresa tenha o menor prejuízo financeiro e reputacional possível.

A gestão de crises é um processo amplo e que envolve todas as áreas da empresa e seus respectivos gestores. Em situações como essa, cria-se um comitê e indica-se um líder, que irá coordenar a equipe durante a emergência. Esse grupo irá definir quais os próximos passos que serão tomados consultando o manual de crise previamente elaborado, seja na área jurídica, segurança do trabalho, suprimentos, operações etc. Caso a crise seja diretamente ligada à comunicação, o manual de crise foi elaborado pela equipe interna de comunicação ou pela agência de assessoria de imprensa ou relações públicas.

No caso específico do papel da comunicação empresarial ou corporativa, em momentos de crise, é importante ressaltar que a empresa deve, na medida do possível, ser o mais transparente que puder com a imprensa. Isso significa divulgar o ponto de vista da organização sobre determinado assunto da forma ágil e objetiva, visando eliminar possíveis polêmicas. Em geral, o silêncio é a pior atitude nesses momentos. E cuidado ao tocar em pontos delicados da empresa.

O media training, que é o treinamento de porta-vozes para lidar com a imprensa, é fundamental em situações de crises. Com executivos treinados, a comunicação com os jornalistas se dará de forma mais efetiva, o que pode ser o grande diferencial em períodos delicados como esse. A Race já disponibiliza treinamentos voltados exclusivamente para crises, com simulações de acidentes, sala de crise, gerenciamento de contato com a imprensa, simulação de entrevistas, simulação de coletivas de imprensa etc.

Se sua empresa quer ter o mínimo de problemas em um momento de crise e sair com os menores danos possíveis, clique aqui e peça mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

 

Gostou do artigo?

10 dicas para otimizar o seu release

Por Rodolfo Zanchin

O release ou press release ainda é um dos principais métodos de divulgação utilizados por uma assessoria de imprensa, e é por meio dele que os grandes veículos de comunicação conseguem informações sobre a empresa, seus produtos, eventos, entre outros. Para atrair a atenção dos jornalistas e também dos internautas, são necessárias algumas técnicas específicas. Confira algumas dicas para otimizar o seu release, deixando-o mais objetivo e melhorando sua classificação em sites de busca como o Google ou Bing:

 1 – Planejamento: É imprescindível pesquisar dados, imagens, infográficos e o público-alvo do assunto que você irá abordar. Não basta apenas escrever um simples texto, leve em consideração a estratégia que você vai adotar e o resultado final que deseja alcançar.

 2 – Conteúdo: Faça a opção por assuntos relevantes e exclusivos relacionados às atividades da empresa. Textos que relatam apenas o trabalho cotidiano da empresa geralmente não são lidos pelos jornalistas, que buscam informações atualizadas e com bom conteúdo para seus leitores. Além disso, esses releases, mesmo se publicados, correm o risco de ter uma alta taxa de rejeição, o que prejudicará seu ranking nas buscas.

 3 – Título: O título é a parte primordial de um release, é através dele que você precisa conquistar o jornalista em questão. Não se esqueça que ele recebe vários releases diariamente, então crie um título chamativo que desperte o interesse do jornalista logo de imediato.

 4 – Objetividade: Faça uma boa seleção do mailing de jornalistas que você pretende enviar o material. Seja breve e vá direto ao assunto principal, inclua elementos estatísticos e declarações oficiais, pois isso aumentará a notoriedade do release.

 5 – Palavras chaves/ tags: Utilize palavras chaves (keywords) para que seu texto seja facilmente encontrado, aproveite para inserir no final tags relacionadas ao texto, pois essa técnica irá elevar a visibilidade do seu release, aumentando a chance que ele apareça entre os primeiros links em um site de busca. Vale a pena conferir também a ferramenta do Google chamada Adwords, através dela você consegue identificar quais palavras chaves os internautas procuram sobre determinado assunto. Incluí-las em seu texto para facilitar a busca aumentará a quantidade de acessos. Acesse o Google Adwords aqui.

 6 – Descrição da Empresa: Lembre-se de colocar uma breve descrição de sua empresa, também conhecido como boilerplate, inclua todas as formas de contato e fique à disposição para eventuais ligações.

 7 – Revisão: Revise o seu texto prestando atenção aos erros, e se possível, peça para outra pessoa fazer o mesmo, aumentando a garantia de que não ocorram equívocos gramaticais, conceituais ou factuais.

8 – Dúvidas: Esteja convicto que as informações são claras e precisas. A pessoa que irá ler o release nem sempre tem conhecimento suficiente sobre o assunto. Esteja preparado para esclarecer dúvidas e responder perguntas.

 9 – Qualidade x Quantidade: É preferível que seu release seja publicado em apenas um portal com muitos acessos ao invés de muitos blogs ou pequenos sites. Os principais sites de busca enxergam de forma positiva quando seu texto é replicado num site conhecido, e ele naturalmente irá subir de posição na busca orgânica.

 10 – Releases seguidos: Aguarde algum tempo para disparar outro release, dois por mês é um número bastante razoável. Releases seguidos incomodam os jornalistas e podem acabar direto na caixa de spam ou lixo eletrônico.

* Rodolfo Zanchin é Assessor de Imprensa na Race Comunicação

Ficou interessado sobre o assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

Gostou do artigo?

O que é um plano de comunicação?

Por Maira Manesco

O plano de comunicação é uma das ferramentas-base para o trabalho de assessoria de imprensa. É nele que a agência de comunicação estabelece qual o caminho que a comunicação organizacional irá percorrer, por meio de análises e estudos sobre a empresa, e pesquisas sobre o mercado e as tendências.

O planejamento é realizado para suprir as necessidades da empresa perante seus stakeholders, conhecidos também como públicos de interesse. Ele também é essencial para reforçar suas ações positivas, preocupando-se com qual mensagem será transmitida e como.

Para elaborar um plano de comunicação é importante incluir os seguintes itens:

– Objetivo: o que se pretende atingir com tal comunicação;
– Mensagem: o quê e como se pretende divulgar;
– Público: quem se pretende atingir com a mensagem (colaboradores, clientes, fornecedores, imprensa etc.);
– Estratégia: quais serão as ferramentas de comunicação eficazes para transmitir a mensagem e qual deverá ser o momento para isto;
– Avaliação: de que forma a mensagem foi recebida pelo público, se o alvo atingido foi o definido.

Além destes itens, é importante criar e incluir um cronograma das ações estabelecidas para, desta forma, conseguir cumprir os prazos. Em alguns casos, é necessário acrescentar neste plano de comunicação o orçamento, que estabelece os custos para cada ação.

* Maira Manesco é Assessora de Imprensa na Race Comunicação.

Ficou interessado sobre o assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

Gostou do artigo?

O que é um presskit?

Por Núbia Neves

Alguns pontos são cruciais para que o assessor de imprensa e seu cliente consigam espaço na mídia. A oferta de boas pautas, com novidades e atrativos, é um ponto crucial; bons porta-vozes com disponibilidade e bem treinados são também muito importantes, porém, há um ponto ainda tão essencial quanto os anteriores: manter um bom relacionamento com o jornalista, e o presskit pode ajudar.

Mesmo podendo ajudar, alguns cuidados com essa ferramenta são importantes:

 1. Presskit não é jabá: é muito comum empresas enviarem para jornalistas presentes e exemplares de materiais que comercializam com o intuito de agradar o jornalista. Porém, a intenção do presskit é auxiliar na notícia e não presentear. Por isso, sempre envie algo que deixe clara essa intenção;

 2. Informação em primeiro lugar: presskits devem ser ligados a notícias. Sempre que enviar um tenha em mente que a informação deve chegar ao jornalista. Se o lançamento de um site é o foco, informe isso, se o importante for o lançamento de um produto, envie o material explicando seus benefícios, entregue para o jornalista as ferramentas necessárias para que ele produza uma boa notícia;

 3. O que enviar em um presskit: como dito anteriormente, ele deve possuir informações claras e importantes. Inclua ao kit escolhido, um release explicativo, com informações da empresa e do produto que pretende divulgar.   Além disso, independente do que for enviado, pense que a real intenção é que o jornalista receba todas as informações de forma fácil e clara. Não se apegue à necessidade de enviar algo chamativo, o importante é agir de forma estratégica. De que adianta chamarmos a atenção com o brinde, se o jornalista não prestar atenção à marca ou à notícia que enviou?

Além desses pontos, é importante que os assessores de imprensa se certifiquem que o conteúdo chegou às mãos dos jornalistas certos e que o intuito do kit foi alcançado. Por isso, confirme, através de follow up, se quem o recebeu ficou com alguma dúvida, e não se esqueça de usar o presskit no futuro a seu favor, facilitando seu acesso ao jornalista.

* Núbia Neves é Assessora de Imprensa na Race Comunicação

Ficou interessado sobre o assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

Gostou do artigo?