O que deve conter um Manual de Crise em Comunicação

Por Filipe Andrade

Crises podem ocorrer em qualquer organização, independentemente da atuação ou dimensão. As consequências dessas situações, por outro lado, resultam do planejamento e da atuação, reativa e proativa, da empresa.

É importante destacar que essas crises podem resultar de fatores externos ou internos e os impactos, se não houver uma atuação efetiva por parte da organização, podem ser devastadores.

Como forma de se antecipar a essas situações, muitas organizações desenvolvem o Manual de Gerenciamento de Crise em Comunicação, que nada mais é que um plano de ação para esses casos. Nele, estão as principais iniciativas a serem tomadas no momento de uma crise e após essa situação, com o objetivo de salvaguardar ou ainda de resgatar a imagem da organização junto a seus públicos.

A respeito disso, o Manual de Gerenciamento de Crise da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp), pontua o seguinte: “Gerenciar crise é trabalhá-la em seu conjunto. O ponto principal da gestão de crise é a prevenção, por meio da identificação de sinais internos ou externos que anunciam a sua chegada e da preparação de estrutura para enfrentá-la. A gestão da crise não é porta de saída, mas de entrada para a terceira fase: a reconquista da confiança na instituição para manter a atividade presente e perpetuá-la no futuro”.

Pensando em ajudar nossos leitores, a equipe da Race Comunicação listou alguns dos principais pontos para um Manual de Gerenciamento de Crise em Comunicação. Nossa intenção não é criar um modelo fechado de manual, já que esse tipo de material deve ser elaborado de acordo com as necessidades de cada empresa, mas nossa ideia aqui é dar uma visão geral do que não pode faltar. Sendo assim, esse manual deve então orientar, ao menos, quanto as seguintes questões:

  • Mapeamento dos fatores que levaram à crise e elaboração de uma matriz de risco;
  • Mapeamento de stakeholders que podem ser impactados em uma possível crise;
  • Quais os requisitos para a criação de um comitê de crise (responsável por definir as ações para cada caso);
  • Atuação do comitê de crise;
  • Quem deve ser e quais os critérios para a definição de um porta-voz (o responsável por falar à imprensa nesses casos);
  • Preparação do público interno;
  • Restauração da imagem da organização.

Se sua empresa precisa criar um Manual de Gerenciamento de Crise em Comunicação entre em contato com a nossa equipe para que possamos te ajudar.

0/5 (0 Reviews)
Gostou do artigo?