O futuro do press release

Por Rogério Artoni

O release, ou press release, ainda não vai morrer. Contudo, é importante uma atualização desta ferramenta. Enquanto nos Estados Unidos o Twitter é cada vez mais usado por assessorias de imprensa e também jornalistas, os profissionais brasileiros de ambas as áreas ainda não aderiram a esta rede social para este tipo de ação.

Uma pesquisa recente, realizadas nos Estados Unidos pela empresa de comunicação Greentarget, apontou que 45% dos jornalistas recebem mais de 50 releases por semana e 21% recebem pelo menos 100 comunicados de imprensa. O Brasil não está atrás, relatos de jornalistas apontam que muitos deles apagam releases sem nem mesmo abri-los. Então, qual é a solução?

Alguns caminhos já são conhecidos como envio de releases digitais com vídeos, galeria de imagens e mesmo áudio. Contudo, existem pontos importantes a serem discutidos. Um deles é o volume de releases enviados pelas assessorias de imprensa. Deve se ter em mente que este tipo de ferramenta, o release, deve ser usado com parcimônia e de forma estratégica.

Criatividade também é outro ponto. Pensar em listas como “10 dicas de …” ou “10 formas de…” é um bom jeito de atrair a atenção dos jornalistas. Galerias de imagens também são muito atrativas. Além dessas opções, o título é um grande responsável pela abertura dos releases, então, gaste tempo elaborando um título atraente e ao mesmo tempo informativo. Ele é a chave para a abertura do material.

Releases sem fotos têm menos chances de atrair a atenção do jornalista. Invista em imagens de boa qualidade e contrate um fotógrafo para montar um bom banco de imagens de sua empresa.

Lembre-se, o release é apenas uma ferramenta que irá provocar o interesse do jornalista no seu assunto. Ele não deve ter todas as informações possíveis inclusas. Deixe o que você tem de detalhes importantes para as entrevistas.

Vídeos podem ser ótimos aliados na divulgação de informações para a imprensa. Pense neles como uma ferramenta completa, com imagem, som e as informações sobre o tema que você quer transmitir.

Foco no número e direcionamento de jornalistas que você quer atingir. Não envie um material para uma lista de 10 mil jornalistas. Pense de forma estratégica e envie para aqueles que realmente se interessam sobre o assunto. Enviar um release sobre engenharia para um jornalista que cobre esportes pode ser um enorme “tiro no pé”. Pense nisso.

Usar redes sociais para divulgar informações para a imprensa também pode ser um novo caminho, mas talvez ainda não seja o momento no Brasil, pois os jornalistas ainda não utilizam essas ferramentas para se informar de novidades no setor. Além disso, algumas informações não são tão confiáveis nas redes sociais.

Se for o perfil de uma empresa ou de um órgão pode ser uma boa opção para também chegar a estes jornalistas.

Outro bom caminho é ter um blog conectado ao site de sua empresa, com informações relativas ao seu setor. A maior parte dos jornalistas busca por novos temas e notícias na própria internet e se você tem conteúdo produzido, ele irá te encontrar. Aliás, caso não tenha tempo para produzir conteúdo, contrate uma empresa para fazê-lo.

* Rogério Artoni é Diretor da Race Comunicação.

Ficou interessado sobre o assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

0/5 (0 Reviews)
Gostou do artigo?