5 motivos para investir em media training

5 motivos para investir em media training

Será que sua empresa deve investir em media training? Imagine uma empresa com identidade visual impecável, forte presença nas redes sociais, conteúdo relevante, newsletters internas alinhadas aos objetivos do negócio e, acima de tudo isso, um ótimo produto. Do ponto de vista da comunicação, parece que estamos bem, certo? Mas pense agora em como toda essa construção seria impactada com uma entrevista concedida por um porta-voz inseguro ou despreparado. Para evitar que isso ocorra, lançamos mão de uma das mais eficientes ferramentas de treinamento em comunicação: o media training.

Se você, como eu, é assessor de imprensa, ou representa uma organização interessada em desenvolver estratégias de comunicação, este artigo pode ajudá-lo(a) a refletir sobre os motivos pelos quais a marca que você representa deveria investir em um media training (ou treinamento de imprensa). De modo genérico, essa metodologia – que tem formatos, dinâmicas e estruturas bastante distintas – tem como objetivo aperfeiçoar o diálogo da empresa com o público externo, tornando o modo de conduzir entrevistas mais atraente e natural.

Como se preparar para as crises de imagem

Sem me alongar na descrição do conceito, reúno abaixo cinco vantagens primordiais de aplicar um media training:

No universo da comunicação, discutimos muito sobre como as marcas devem construir uma conexão mais humana com seus consumidores, seja na maneira com que constroem peças publicitárias, na produção de conteúdo próprio de qualidade ou em relação ao posicionamento sobre temas em amplo debate na sociedade. De que adiantaria construir todo esse pano de fundo sem investir de fato no capital humano interno da marca? Porta-vozes – sejam eles diretores ou qualquer outro colaborador – são, em um contexto extremamente digital, promotores em potencial da marca, e por isso devem corroborar o discurso construído em todas as outras frentes estratégicas da comunicação. O media training aprimora os discursos para alinhá-los à imagem que a empresa busca consolidar.

  • Evita que uma crise se intensifique

“São necessários 20 anos para construir uma reputação e apenas cinco minutos para destruí-la”. Você certamente já se deparou com essa máxima de Warren Buffett, lenda do mercado financeiro. Qualquer coisa que eu disser será menos objetivo, mas vale reforçar que, em um momento de crise, por exemplo, um porta-voz tranquilo, seguro e bem preparado pode evitar que o problema tome proporções maiores e mais drásticas. Além disso, contribui para demonstrar solidez e a boa conduta da empresa em um momento crítico. Em contrapartida, se o entrevistado demonstra tensão e nervosismo, pode colocar em xeque a reputação de toda a organização.

  • Unifica as mensagens e as torna mais eficazes

Se o presidente da companhia sofre um imprevisto e não está disponível justo no dia de uma entrevista para um veículo de abrangência nacional sobre um lançamento bastante importante e inadiável, o que fazer? Nesses casos, é essencial ter outros porta-vozes alinhados às key messages da empresa. Um bom treinamento avalia se os executivos conhecem – e sabem transmitir corretamente – a missão, os valores e os objetivos estratégicos de determinada divulgação. Mais importante que isso, o media training é o momento de verificar se os porta-vozes sabem o que não devem dizer e como não se portar durante uma entrevista.

  • Torna a empresa referência no segmento em que atua

Jornalistas estão em busca de boas fontes de informação para os segmentos que cobrem, e a construção de um bom relacionamento faz com que o porta-voz seja buscado outras vezes para comentar novos temas em destaque na imprensa. Isso significa maior exposição qualitativa na mídia, obra-prima da assessoria de imprensa. Mais uma razão valiosa para investir em um bom treinamento.

  • Apresenta a rotina jornalística à empresa

Uma dos desafios de nossa atuação como consultores de comunicação consiste em apresentar a clientes a realidade da imprensa brasileira, com todas as particularidades que impactam diretamente no nosso trabalho (e resultados). Além de todas as contribuições anteriores que um media training pode representar, existe ainda o benefício de fazer desse momento uma oportunidade para aproximar a organização das conjunturas da rotina jornalística.

Ficou interessado em saber mais sobre programas de media training? Fale com a Race!

Por Amanda Lima

Gostou do artigo?