House organ: o que é e como fazer?

house organ

Por Lívia Caixeta

Entre os serviços que uma empresa pode contratar, dentro da comunicação interna, está o house organ, revista empresarial ou revista interna, que é o veículo de comunicação que circula dentro da companhia. É por este caminho que será possível divulgar informações importantes, muitas vezes até estratégicas e que, na maioria das vezes, não dizem respeito ao público externo – clientes, sociedade, etc.

O trabalho de produção de uma revista empresarial é muito parecido com o que acontece em uma revista de grande circulação, por exemplo, e demanda bastante experiência para sair do papel – literalmente! Saiba mais sobre esse processo a seguir:

Como funciona a criação de um house organ?

Existe um Conselho Editorial, formado por pessoas que sugerem as pautas (assuntos), ajudam a produzir as fotos e dão o direcionamento dos textos daquela edição. Cada número do house organ tem um tema central que, geralmente, compõe a chamada de capa da revista, e é a partir dele que será definido o enfoque das reportagens de toda a publicação.

É interessante ainda estabelecer uma quantidade de páginas e algumas editorias (espaços ou colunas) fixas. Geralmente, estas editorias são destinadas às ações permanentes da companhia – pode ser um texto de um diretor, uma coluna de cultura ou artes, entre outras opções. A partir daí inicia-se a produção das reportagens e das imagens, que preferencialmente, devem ser feitas por um fotógrafo profissional para que tenham boa qualidade.

Todo o planejamento do house organ também deve levar em conta os eventos estratégicos da empresa naquele período e a frequência de publicação (será mensal, bimestral, semestral, anual?), para que a distribuição e leitura da revista pelo público seja eficiente.

A fase final, na produção de uma revista empresarial, é feita pela revisão, diagramação e edição. Todos os textos são revisados por um profissional com experiência nesse trabalho, garantindo que não haja erros de concordância, ortografia, coesão ou até mesmo digitação.

A seguir, as páginas são “desenhadas” por um designer, que garante a harmonia dos elementos título, subtítulo, texto principal, texto secundário (se houver) e imagens (fotos ou artes). A última etapa é a edição e, em seguida, aprovação pelo conselho editorial. Tudo isso antes de ir para a gráfica e ser impressa.

É muito importante, em todo esse processo, estar atento aos prazos e trabalhar com alguma folga na agenda. Isso implica observar o calendário de eventos da companhia para que as expectativas da publicação sejam atendidas.

Em média, um house organ de boa qualidade e com uma quantidade razoável de páginas, entre 24 e 32, precisa de 2 meses para ser produzido, aprovado e distribuído – desde a primeira etapa, bater o martelo sobre o tema daquela edição, até o última parte, quando a edição chega às mãos dos funcionários.

Outra dica interessante é fazer desta publicação um meio de comunicação que seja o mais próximo possível dos colaboradores e parceiros, para que haja uma boa aceitação da ferramenta. E, além disso, é fundamental que todo esse processo seja supervisionado e tenha a participação direta de profissionais capacitados como os de uma agência de comunicação.

Ficou interessado em criar um house organ para a sua empresa? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.