Em tempos de tragédias, saiba como uma empresa deve se comportar nas redes sociais

Por Thamyres Barbosa

Não tem sido fácil abrir os portais de notícias ultimamente. O ano mal começou e o Brasil já acumula uma sequência de tragédias de todos os tipos. Seja por negligência das empresas, do governo ou mesmo com verdadeiras fatalidades. Os tempos tem sido difíceis. E, já que não há como não nos abalarmos diante desses acontecimentos, é preciso aprender a lidar com eles não apenas na vida, mas nas redes sociais também.

É claro que, se sua empresa estiver diretamente ligada a esses desastres, o presente texto não irá ajudar muito. Para as instituições que estão do lado de dentro, o ideal é adotar uma agenda voltada ao gerenciamento de crise.

Mas, mesmo para quem está acompanhando de fora os episódios dramáticos desse início de ano, é importante estar em sintonia com o momento e evitar gafes. Nessas horas de comoção coletiva, qualquer passo em falso pode deixar sua empresa no foco das atenções. E para não colocá-la no centro das críticas, é importante ter cautela em qualquer ação. Por isso veja abaixo algumas dicas de etiqueta das redes sociais. Veja abaixo:

Tragédia não é oportunidade

Ser oportunista, nesse caso, pode ser um grande tiro no pé. Pode até parecer que as enchentes no Rio de Janeiro são uma ótima oportunidade para divulgar sua nova linha de botes infláveis nas redes sociais, mas não é. Nesse caso, pegar carona em tragédias, pode demonstrar frieza e até uma certa grosseria. As pessoas não perdoam e sua empresa, certamente, pagará o preço desse equívoco nas redes sociais. Clique aqui e veja um case sobre isso.

Menos é mais

Mesmo que haja motivo para festejar o lançamento de um produto que a companhia vinha se preparando há meses, nessas horas é importante não fazer grandes comemorações nas redes sociais. Não é de bom tom extravasar a alegria enquanto tantas pessoas passam por um momento de luto. Por isso, o ideal é aguardar alguns dias e esperar a poeira baixar.

“Não saiba a tua mão esquerda o que faz a direita”

Em situações de grandes catástrofes, como foi o caso do rompimento da barragem em Brumadinho, pode ser que haja a necessidade de doações de alimentos, produtos de higiene ou mesmo de dinheiro. Se sua empresa se solidarizar e quiser contribuir, será ótimo. Mas não queira fazer uma grande publicidade a respeito. Isso pode ter efeito reverso e prejudicar a imagem da sua empresa nas redes sociais. Se for mobilizar doações, tudo bem. Mas se quiser simplesmente mostrar às pessoas que sua empresa é solidária, não faça.

Gostou do artigo?