Como fazer o E-commerce por meio das redes sociais?

Por Rodolfo Zanchin

Vivemos em uma época em que a maioria das pessoas vive conectada à internet 24 horas por dia. Faça o teste: Quantas pessoas você conhece que não acessam redes sociais pelo menos uma vez ao dia? Se a resposta for uma, o número já estará alto!

As principais redes sociais, como o Facebook, Instagram, Snapchat, LinkedIn e Twitter são grandes replicadores de conteúdo. Sabendo disso, o E-commerce pode pegar uma carona e transformar as redes sociais em uma grande “vitrine” online, com muitos fatores positivos, como o alto impacto em todas as regiões do país ou até o mundo, o compartilhamento, o direcionamento de público, feedback instantâneo, entre outros.

Porém, a grande dificuldade é: como levar as pessoas até a sua loja virtual?

A Race separou alguns passos:

  1. Público de interesse

Antes de se aventurar no comércio eletrônico, tente mapear qual é o público que mais se interessa pelo seu produto. Após isso, identifique em quais redes sociais ele está presente e aposte nela.

  1. Faça o direcionamento de público

Em várias redes, principalmente o Facebook e o LinkedIn, você consegue filtrar o impacto do material disponibilizado, por meio de sexo, idade, área, interesses etc. Por isso, torna-se muito importante o mapeamento de público bem feito.

  1. Reserve verba para publicidade

Posts patrocinados são ótimos aliados para alavancar a sua loja. Faça um bom cálculo de quando deseja investir nas redes sociais e faça a divisão desse valor por mês. Com o tempo, você consegue saber quais os dias que possuem maior engajamento e possibilita maior efetividade no lançamento de promoções etc. Além disso, é possível mensurar, através da instalação de pixels no seu site, qual campanha está performando melhor, de qual rede está vindo os clientes que realmente compram, onde eles param a compra etc.

  1. Faça (ou contrate!) posts de qualidade

A qualidade dos posts também é um ponto muito importante. Imagens bem elaboradas são as boas-vindas para o cliente. Quando os usuários estão navegando no Facebook, por exemplo, apenas imagens interessantes o fazem parar e conferir o conteúdo. Se não puder fazer, contrate uma empresa que o faça.

  1. Conteúdo

Para que o seu produto ganhe visibilidade, é necessário uma grande estratégia de marketing “por trás”. Invista em um conteúdo bacana que apresente o conceito e funcionalidade daquele produto, por meio de texto bem elaborado e sucinto, de acordo com o seu público de interesse. Importante lembrar que a função desse conteúdo deve ser informar e não ser um texto “vendedor” (este texto mesmo é um exemplo disso!).

  1. Uma ação para cada rede

Entender qual o público que “consome” o seu produto, melhora a sua assertividade na escolha da rede. Por exemplo, se o negócio é B2B, a melhor aposta é o LinkedIn, se é focado no consumidor final, recomenda-se o Facebook, mas se o assunto for moda ou conteúdo para público jovem, os mais indicados são o Instagram e o Snapchat.

  1. SAC 2.0

Facilitar a comunicação do cliente com você é um grande atrativo. A criação de um Serviço ao Consumidor online, onde ele possa ter uma resposta imediata e customizada, é um bom diferencial, sem fazê-lo perder horas no telefone.

  1. Loja no Facebook

A funcionalidade vem se popularizando de 2015 para cá. A loja é um app onde a grande vantagem é que o usuário não precisa sair da rede e ser direcionado para um site, a compra é feita “dentro” do Facebook. Além disso, é um bom aliado para divulgação da loja, já que o cliente pode compartilhar e sugerir os produtos para os amigos.

  1. Instagram x empresas

Neste segundo semestre de 2016, o Instagram começou a liberar contas corporativas. Os perfis Business Tools permitem analisar o desempenho, engajamento e alcance de postagens.  Com o tempo, será possível mapear o público de interesse, identificar tendências e, claro, utilizar todos esses dados na estratégia de marketing da empresa.

  1. Snapchat para empresas

Embora ainda pouco utilizado, o Snapchat corporativo é uma grande tendência que vem sendo inserida aos poucos no meio dos negócios. Ele pode ser utilizado tanto para comunicação interna como externa, e garante uma aproximação mais humanizada com o cliente. Fazer vídeos sobre momentos de descontração, promoções etc, são boas iniciativas para o app. Mas não se esqueça de popularizá-lo! Uma dica é fazer promoções que incentivem o cliente a adicionar o perfil da empresa no aplicativo.

O blog da Race já contou em um texto anterior qual é o estilo de cada rede social, confira clicando aqui. Dessa forma, você pode adequar a sua estratégia de impacto com a linguagem de cada uma. Se você quiser contratar uma empresa para produzir conteúdo ou gerenciar sua campanha nas redes sociais, entre em contato com nossa equipe.

0/5 (0 Reviews)
Gostou do artigo?