Como a produção de conteúdo se adequa ao seu negócio

Por Filipe Andrade

Costuma-se dizer, no âmbito da comunicação, que a informação é consequência da organização de dados e de determinados conteúdos. Tem mais a ver com estratégia do que com o conteúdo em si. Não que o conteúdo não seja importante, pelo contrário. Mas, sem estratégia ou organização bem aplicada, não há o efeito esperado.

Em qualquer que seja a instituição, a produção de conteúdo é essencial para a comunicação e o relacionamento com seus públicos. Portanto, antes é necessário um exercício de conhecimento da própria empresa a definição de uma estratégia eficiente de comunicação.

O primeiro passo é determinar “para quem falar” – quem são os stakeholders? Isso é fundamental, pois cada público exige um tipo de conteúdo, que deve ser trabalho também de forma diferenciada. Para imprensa, apresentam-se determinados temas. A linguagem nesses casos é uma. Para o público interno, outro tipo de linguagem dever ser trabalhada, já que o objetivo é completamente diferente da assessoria de imprensa. Para clientes, aplica-se a mesma premissa.

Outra medida importante é a definição de quais assuntos ou temas são importantes para aquela organização apresentar. Na assessoria de imprensa, o tema deve gerar relacionamento, para o público interno, motivação e integração, e, para clientes e fornecedores, engajamento. Assim, os temas devem ser pensados dentro desses objetivos.

O canal, meio de transmissão da mensagem, também deve ser pensado, considerando o assunto e o público a que se destina. No caso do público interno, há uma infinidade de ferramentas, como informativos via e-mail, house organs, redes de intranet etc. Na assessoria de imprensa, utiliza-se, geralmente, os press releases, áudio releases, press kits, entre outras. Se a intenção é estar mais próximo de clientes e/ou fornecedores e do público em geral, os meios mais indicados são sites institucionais, páginas em redes sociais, entre outras.

É claro que essa definição não deve ser entendida apenas nesses limites. Isso porque dentro de cada um destes três segmentos (comunicação interna, assessoria de imprensa e comunicação institucional) há outras subdivisões que devem também ser consideradas. O fundamental, contudo, é considerar cada especificidade e segmento a ser trabalhado. Afinal, será a estratégia definida antes de qualquer processo produtivo o diferencial para o resultado.

0/5 (0 Reviews)
Gostou do artigo?