Briefing: para que serve?

Briefing criação

O briefing reúne todas as informações necessárias para a produção de um material visual – sem ele, a área de criação de uma agência de comunicação pode ter problemas.

Por Flávia Giraldes

Imagine que você recebe a imagem de um par de óculos e precisa explicar por telefone para um amigo o que você está vendo, sem dizer que são óculos. Você pode começar a descrever algo como: “são dois círculos com uma pequena reta entre eles, e dos lados opostos saem duas linhas na diagonal, cujas extremidades são levemente arredondadas…”

Por melhor que seja a sua descrição, o seu amigo provavelmente vai pensar em algo muito estranho e que não se assemelha em nada a um par de óculos. Mas por que esse desencontro acontece – e o que isso tem a ver com a área de criação de uma agência de comunicação?

Para começar, o que é a área de criação?

Responsável pelo trabalho de comunicação visual de uma agência, a área de criação desenvolve trabalhos (ou jobs, na linguagem dos designers) para materiais offline, online e também webdesign.

Enquanto os jornalistas, relações públicas e publicitários de uma agência pensam nos objetivos, estratégias de comunicação e conteúdo, a equipe de criação pensa na estética para melhor comunicá-los.

Engana-se quem pensa que a parte visual deve ser deixada de lado em relação ao texto. Na transmissão de uma mensagem, o ser humano também considera e muito os elementos não-verbais, e contar com bons materiais visuais para explicar a ideia de uma empresa, marca ou personalidade é fundamental.

Por que a área de criação precisa de um briefing?

Pegando carona no exemplo do início desse texto, imagine que a pessoa que vê a imagem é o atendimento da agência, os óculos são a nova identidade visual de um cliente e o amigo que escuta a descrição por telefone é a área de criação.

Por mais que a ideia pareça incrível para o cliente, se o atendimento não transmiti-la de maneira adequada para a criação o projeto pode não sair conforme o esperado. Às vezes precisa-se de mais informações do que simplesmente “círculos, retas, pontas arredondadas” para entregar um job completo.

O que um bom briefing deve conter?

Quando o atendimento alinha com o cliente os materiais visuais necessários para a comunicação, ele precisa se certificar de que reuniu todas as informações a seguir para passar para a criação:

    • Quem é o cliente? Especificar à área de criação se é um cliente que já trabalhou com a agência antes ou se ele acabou de chegar – nesse último caso, o primeiro briefing pode ser elaborado em conjunto pelo atendimento e a criação, normalmente em uma reunião com a presença do cliente.
    • Qual o trabalho a ser realizado? Dizer se será uma newsletter, post para rede social, anúncio, folheto, cartaz, brinde, entre várias outras opções. O atendimento deve ter em mente quais serviços a criação da agência está apta a realizar e quais outros demandarão a contratação de um profissional externo.
    • Qual o conteúdo? Falando da parte textual, indicar o texto, chamada, logo ou mensagem que comporá a imagem.
    • Há alguma referência? Esse trabalho já foi feito antes? Mencionar se o cliente tiver citado algo específico que o atraiu, mesmo que tenha aparecido entre a concorrência.
    • Qual a mídia do projeto? Para saber onde será usado, como por exemplo celular, redes sociais, papel impresso, site, etc.
    • Em qual formato? Orientar quanto ao tamanho da peça: Stories para Instagram, anúncio de meia página com a medida do veículo, folheto impresso tamanho A5, etc.
    • Há regras específicas ou limitações a considerar? Alguma cor que a marca não utilize, algum pedido diferente para aquela campanha…
    • Qual o prazo para a primeira entrega? Caso a criação esteja com muitas demandas naquele momento, a data talvez precise ser renegociada.

Sem um briefing completo, que problemas podem acontecer?

Um briefing incompleto é o terror da equipe de criação! Se a área estiver com tempo, ela pode até responder ao atendimento solicitando mais informações para concluir o job – mas essa troca de perguntas e respostas leva dias e pode atrasar o prazo combinado.

Se não houver tempo hábil para maiores esclarecimentos antes de iniciar a produção, o designer vai começar seu trabalho sem referências claras e criar livremente. Por mais que seja um ótimo profissional, pode acontecer de ele elaborar algo totalmente fora do esperado – o que não será sua culpa, afinal, ele não recebeu um briefing completo.

O cliente insatisfeito pode solicitar uma, duas, três, quatro refações… Até enfim chegar ao que queria com a peça! Mas não seria muito mais fácil ter acertado logo de cara, se as especificações necessárias estivessem disponíveis no briefing?

Por isso, quando achar que não há tempo para elaborar um briefing completo, lembre-se de que deixar tudo às claras logo no início pode significar uma boa economia em tempo, dinheiro e recursos humanos mais para frente – além de possivelmente agradar o cliente na primeira tacada.

A Race Comunicação possui um time de criação pronto para atender todas as suas demandas online e offline. Entre em contato conosco e peça por uma proposta.