Blogs e sites podem ajudar a vender mais?

Blogs e sites podem ajudar a vender mais?

Blogs e sites podem ajudar a vender mais? Logo de cara, já podemos afirmar que sim! E para explicar a resposta, devemos primeiro compreender quem está na ponta da comunicação: o público-alvo.

Das constantes e velozes mudanças que o mundo tem enfrentado, um novo tipo de consumidor emergiu. Ele é mais exigente, altamente conectado e possui poderes que há alguns anos eram inimagináveis. Com poucos cliques, é capaz de comparar preços, ler opiniões sobre produtos e ter acesso a experiências de outras pessoas. E caso se aborreça com o atendimento ou serviço adquirido, pode recorrer a um oceano de plataformas para reclamar publicamente.

E tem mais um detalhe: esse consumidor também não gosta de ser interrompido. Seja na leitura de suas notícias, no meio de seus filmes ou por ligações em seu celular, ele detesta abordagens invasivas, precisamente as que o marketing tradicional utiliza para tentar vender coisas para ele. Muitas vezes, o resultado é o oposto do esperado: a pessoa passa a associar o nome da marca ao distúrbio da sua paz. O anúncio assume um aspecto intrusivo, ilegítimo. Afinal, tenta disputar a atenção do usuário com o conteúdo que de fato o atraiu para aquele ambiente – seja o rádio, a TV, internet ou um veículo impresso.

Acontece que nós estamos fugindo de tudo aquilo que não nos interessa. E propagandas indesejadas estão no topo desta lista. É preciso atrair e se relacionar, não bombardear incessantemente. O marketing, mais do nunca, precisa ser consensual.

Este é o ponto em que voltamos à pergunta inicial. Sites e blogs podem ajudar a vender mais? Sim! E o mais importante, sem serem abelhudos.

O segredo está no tipo de conteúdo produzido e na forma de oferecê-lo ao público.

O primeiro passo é identificar a persona, ou seja, personagens criados a partir de comportamentos comuns dos tipos sociais com quem uma marca pretende interagir. É como imaginar um cliente ideal, levando em conta seus gostos, classe social, faixa etária, preferências, aspectos que o desagradam, recorte geográfico, entre outros.

Como a produção de conteúdo se adequa ao seu negócio

Com este perfil traçado, é hora de pensar quais temas têm potencial para atrair este público específico. O que essas pessoas procuram? Por dicas de culinária, curiosidades sobre o universo dos super-heróis, decorações modernas, práticas de yoga, o melhor jeito para dobrar roupas de cama, como concertar uma cadeira ou de que forma lidar com chefes chatos?

É neste ponto que o blog ou o site podem atrair sua atenção. Mas, para isso, devem possuir conteúdo informativo, de qualidade e sempre atualizado. Se a empresa começa a ajudar seu público-alvo, com informações realmente úteis para ele, as chances de transformá-lo em um lead (potencial comprador) é muito maior. Quando o consumidor precisar de algum produto ou serviço do leque da companhia que o auxiliou, com certeza esta empresa estará entre suas primeiras opções.

Somar estratégias de comunicação é essencial para se destacar e converter “estranhos” em clientes e, até mesmo, em promotores de uma marca. Sem dúvida, no contexto de grandes transformações em que vivemos, blogs e sites são ferramentas poderosas para alavancar vendas, pois compartilhar conhecimento gratuito é uma das maneiras mais eficientes de encantar.

Por Thaigo Eid

Gostou do artigo?