A importância da assessoria de imprensa para empresas internacionais

Por Alan Mariasch

O Brasil nunca esteve tão em evidência no mundo e cada vez atrai mais a atenção de organizações multinacionais. E não apenas por causa da Copa do Mundo, mas graças ao grande potencial de sua economia, que apesar de muitos desafios burocráticos, sociais e gargalos logísticos, cresce num ritmo mais acelerado do que tradicionais potências como Itália e Espanha. Mas em termos de comunicação e relacionamento com a imprensa, como as empresas estrangeiras devem se planejar quando desejarem se estabelecer no Brasil?

Para Alice Bonasio, gerente de comunicação do Mendeley, rede social para pesquisadores acadêmicos com sede em Londres e atuação mundial, há inúmeras vantagens em uma empresa multinacional contratar uma agência de comunicação brasileira, quando desejar abrir um escritório ou expandir suas operações por aqui: “Além do lado logístico, para mim a vantagem mais importante é ter uma presença local que entenda como funciona o mercado, saiba quem são as pessoas influentes, e que já cultive relacionamentos com essas pessoas. Isso te dá a habilidade de construir seus planos com muito mais confiança, pois sabemos que, tendo uma boa ideia, essa ideia vai chegar aos ouvidos certos”.

Algumas empresas optam por realizar o trabalho de assessoria de imprensa a partir da matriz, localizada no exterior, mas sem obter os mesmos resultados. “Relações públicas, no final das contas, são sobre relacionamentos, e o elemento de estar perto, fisicamente, acaba contando. E-mail e telefone são ferramentas úteis e eu mantenho contato direto com muitos jornalistas no mundo inteiro, mas no final das contas, muitas ideias só rolam mesmo num almoço ou com um cafezinho. Tendo uma assessoria de imprensa que entenda a sua empresa e trabalha como uma extensão dela, você tem muito mais opções”, afirma Alice.

A escolha da agência deve ser um processo bem criterioso. A empresa necessita explicar exatamente quais são suas expectativas no país e a agência precisa ser realista e alinhar a demanda do cliente com aquilo que é possível de ser realizado. Alice acredita que “a seleção deve ser feita com cuidado e com honestidade dos dois lados. O cliente tem que ser muito honesto quanto às expectativas (resultados esperados, dentro de quanto tempo, etc) e a agência tem que ser transparente sobre o número de pessoas que vão trabalhar diretamente com ela, quantas horas serão dedicadas ao atendimento, quais os meios de comunicação e como será medido o sucesso desse trabalho”.

Por fim, não basta apenas contratar a melhor agência, mas é necessário fornecer a ela as condições para que desempenhe o melhor trabalho. “Um porta-voz que fale português é muito útil, pois dá aquele senso de conexão com o mercado brasileiro, mas o mais importante é ter uma história boa para contar, através da qual você possa promover a empresa e tudo aquilo que ela representa. Mas eu acredito que uma boa assessoria de imprensa te ajuda não só a chegar nas pessoas, mas por entender o mercado e as necessidades de cada jornalista e veículo, ela vai te ajudar a criar campanhas e histórias relevantes e de alto impacto para promover a sua empresa”, conclui Alice.

* Alan Mariasch é Executivo de Contas na Race Comunicação.

Ficou interessado sobre o assunto? Clique aqui e veja mais informações sobre esse e outros serviços oferecidos pela Race Comunicação.

0/5 (0 Reviews)
Gostou do artigo?