Comunicação visual: 5 coisas que não devem ser feitas

O que não fazer com a comunicação visual

Por Thiago Eid

Na era da internet e da conectividade multimeios, a comunicação visual vem ganhando cada vez mais destaque. Neste cenário, empresas de vários portes e setores têm investido na área, devido ao grande impacto no público-alvo. Por isso, nesse texto separamos 5 dicas sobre o que não fazer com a comunicação visual de sua marca.

Devido ao seu poder de atração e engajamento, a comunicação visual deve ser muito bem pensada, e, portanto, fazer parte de planejamento amplo e com objetivos precisos. Desenvolvida de forma eficiente e profissional, é uma excelente aliada para aumentar vendas, aprimorar o posicionamento de mercado e transmitir valores e missões.

Do contrário, pode se transformar numa catalisadora de catástrofes, com potencial de afundar campanhas e prejudicar as mais sólidas reputações. Tome nota sobre nossas dicas do que NÃO fazer em comunicação visual!

1) Nunca comece sem objetivos bem definidos

Como mencionado acima, a comunicação visual deve fazer parte de um planejamento bem pensado, que englobe metas comerciais e do negócio. A maior chance de errar mora na falta de uma estratégia clara. No mínimo, é necessário saber o porquê se está fazendo, para quem é endereçada e como executar as ações.

2) Não faça a comunicação visual por conta própria

Como já vimos, a comunicação visual é muito importante para o posicionamento de uma empresa. Portanto, quem não tem bastante experiência na área não deve tentar criar o design de uma marca ou campanha por conta própria.

As chances de passar uma imagem pouco profissional e amadora é muito grande. Vários fatores contam na hora de produzir uma peça, como tamanho, paleta de cores, disposição de imagens etc. As pessoas realmente repararam nisso.

3) Não possuir um manual de identidade

Não ter um manual de identidade que converse com os produtos e serviços da empresa e represente os valores do negócio é outra maneira rápida de afundar uma reputação. O reconhecimento de uma marca está intimamente ligado aos padrões visuais e estéticos que utiliza. Mais uma vez, a profissionalização é fundamental para passar seriedade e coerência.

4) Não se adequar a plataformas distintas

Na hora de pensar na disseminação de uma campanha visual, é importante lembrar que ela deve estar adaptada a diferentes plataformas, principalmente as digitais, já que cada uma possui suas características próprias. As pessoas acessam a web por diversos canais, como smartphones, tablets, desktops e notebooks.

Sem as extensões, qualidade, animações e cores corretas, a aplicação visual pode sofrer grandes distorções, que inviabilizam toda a comunicação.

5) Não respeitar as características de cada mídia

Na internet, cada tipo de mídia tem sua forma de comunicar, seu público específico e seu modo de interação. A comunicação visual deve entender e respeitar essas características, para não causar o efeito oposto ao desejado. O LinkedIn, por exemplo, não se comunica da mesma forma que o Instagram.

Além disso, a estratégia também deve conversar com o tipo de conteúdo que está sendo veiculado e com o contexto em que está sendo colocada.

Como é possível notar, são vários os caminhos que podem levar a um erro quando o tema é comunicação visual. O melhor é sempre ter o suporte e consultoria de alguém que saiba o que está fazendo, caso contrário todo o dinheiro investido pode estar indo ralo abaixo, junto com a reputação da marca. Deixe a ajuda do sobrinho para outra hora e invista numa imagem profissional.

Se precisar de ajuda com a comunicação visual da sua empresa, conte com o time de especialistas da Race Comunicação.