5 dicas para ser um bom porta-voz

Um porta-voz bem treinado é essencial para qualquer empresa que almeje ter um bom relacionamento com os meios de comunicação. Não só essa pessoa irá entregar as mensagens chave da companhia e terá a perspicácia de lidar com todo e qualquer tipo de jornalista, ela será o rosto da empresa e será um dos fatores essenciais para que a boa reputação da companhia seja preservada – e o que é melhor, sem parecer um vendedor.  Junto ao time da Race Comunicação, eu tive a oportunidade de acompanhar muitas entrevistas e muitos media trainings. Então, separei aqui alguns aspectos que um bom porta-voz deve ter, desenvolver e aprimorar. Vem conferir as 5 dicas para ser um bom porta-voz!

Conheça a imprensa

O primeiro passo para que um bom porta-voz seja formado é conhecimento sobre como funcionam os veículos de mídia. Entender, mesmo que não seja profundamente, como funciona a rotina de um jornalista e de uma redação irá auxiliar o executivo a dar respostas mais objetivas às questões levantadas e, principalmente, a não cair na “teia de sedução” do repórter.

Ainda nessa lógica, vale ressaltar a importância de que o executivo conheça a) o perfil do jornal, revista ou site para o qual ele está dando entrevista, e b) o perfil do jornalista com quem ele vai se encontrar. Como cada veículo é único, assim como cada repórter, essas informações irão auxiliar o porta-voz a entender como se portar.

Conheça seu público

Outro ponto importante é que, quando um porta-voz fala sobre seu produto, sobre sua empresa, ou ainda sobre algo negativo envolvendo algum desses temas, ele deve lembrar para qual público ele está se dirigindo.

É uma revista superespecializada? É um veículo que mira atingir a grande massa? Esses são públicos completamente diferentes, com níveis irregulares de conhecimento sobre seu tema – o que, consequentemente impacta na sua maneira de falar e agir.

Capital intelectual é a sua arma

Quando um jornalista busca um porta-voz de uma empresa, ele espera que esse executivo tenha uma única coisa: conhecimento. Por isso, um bom porta-voz deve conhecer muito bem seus produtos, seus problemas e sua empresa. Você não precisar ser um PhD, mas conhecimento é a sua arma, aliado a um vocabulário simples e direto. Ah, um sorriso no rosto também não faz mal a ninguém!

Mensagens-chave

Toda a empresa tem, ou deveria ter, suas mensagens-chave – aquelas que são as mais importantes de serem replicadas de acordo com a estratégia da companhia. É vital que o executivo conheça essas key messages e tenha a habilidade de adicioná-las ao seu texto de modo discreto, sem dar na cara que é isso que ele está fazendo.

Disponibilidade

O executivo que fez sua lição de casa e conhece minimamente a rotina de uma jornalista já deve saber que esses profissionais muitas vezes trabalham com prazos curtíssimos e sob muita pressão. Por isso, estar disponível é uma carta na manga para, primeiramente, conseguir emplacar sua empresa em uma matéria e, em segundo lugar, promover um bom relacionamento com o repórter. Na próxima necessidade de entrevista, adivinhe de quem o jornalista vai lembrar, de você ou do concorrente demorou dois dias para falar que só poderia encontrá-lo por vinte minutos dali duas semanas?

 

Por João Pedro Andrade

Gostou do artigo?