Vídeo release: nova tendência de mercado?

Por Filipe Andrade

A comunicação está mudando e, junto com ela, mudam as formas de fazer jornalismo e assessoria de imprensa. Um dos pontos dessas mudanças é que hoje há uma demanda muito maior de profissionais multimídia.

Outro fator é que, com o boom da internet, as redações tradicionais (impresso e TV, por exemplo) e a assessoria de imprensa mudam suas dinâmicas de trabalho. Hoje, exige-se do assessor um papel que é muito mais de produtor de conteúdo (assunto que, inclusive, já abordamos aqui no blog).

Dentro desse papel, o vídeo release torna-se uma ferramenta com forte potencial, apesar de ainda ser pouco utilizado.

Isso se deve a alguns fatores.

  1. É prático. Mais que um “simples” texto com foto, o vídeo release traz um conjunto de soluções para os jornalistas. Pode ser utilizado na internet, na TV e aproveitado no jornalismo impresso e no rádio.

 

  1. Os repórteres agradecem. As redações, cada vez mais enxutas, podem trabalhar melhor as pautas enviadas pelo assessor de imprensa, sem precisar, necessariamente, enviar uma equipe para repercutir o assunto. Em tese, tudo o que o repórter precisa está (e deve estar) no vídeo release.

 

  1. Em 2019, 80% do tráfego de internet será de vídeos, segundo o YouTube. Ou seja, em uma sociedade onde o fluxo de informações cresce em um ritmo acelerado, as soluções precisam estar em sintonia com esse cenário.

 

IMPORTANTE! Para que seu vídeo release seja bem aproveitado…

  1. Seja objetivo. Transmita sua mensagem de forma clara e direta.

 

  1. Ofereça soluções. Entregue ao repórter não só aquilo que ele precisa, mas aquilo que ele pode precisar, mas ainda não sabe. Se antecipe.

 

  1. Ofereça um conteúdo completo. Sim, é possível oferecer boas informações de forma objetiva. Disponibilize fontes e informações relevantes, não apenas da organização que você assessora. Contextualize sua informação.

 

  1. Invista em uma ‘Sala de Imprensa’. Mais que enviar o vídeo release às redações, é fundamental disponibilizar um canal onde o repórter sempre poderá acessar as informações sempre que quiser ou precisar. Procure conhecer também as plataformas de comunicação colaborativa e invista nessas ferramentas.

 

  1. Qualidade é tudo. Invista em equipamentos modernos, numa edição bem feita e numa produção bem elaborada. Nada de improvisos. Planeje-se!
Gostou do artigo?