Comunicação em tempos de crise

Por Lívia Caixeta

O momento de crise política e econômica pelo qual passa o Brasil tem mostrado, com diversos exemplos, o quão importante é a comunicação neste contexto, seja na comunicação interna, institucional e, principalmente no relacionamento com as mídias. Os exemplos são diversos:

1. Redes Sociais: uma boa gestão de comunicação pode, por exemplo, anular ou amenizar uma crise de imagem provocada por uma situação banal mas que ganha relevância se viraliza nas redes sociais.

2. Relacionamento com a mídia: a geração de mídia espontânea, por meio de ações de assessoria de imprensa, principalmente, é a maneira mais barata e eficaz de manter o assessorado (empresa, produto, pessoa pública, etc.) em pauta. Além disso, se bem elaboradas, as sugestões de pauta ganham destaque quando fogem do noticiário factual. Com enfoques leves porém informativos, de alguma maneira, melhoram a rotina dos consumidores finais, que são os telespectadores, leitores, ouvintes, enfim, o cidadão!

3. Comunicação Interna: mais do que em qualquer outro momento, a rádio-peão ganha força quando uma situação de crise – seja de gestão ou financeira – assombra uma companhia. Soma-se a isto o desafio de manter uma equipe motivada quando tudo – o trabalho e a vida pessoal – não vai bem. A comunicação interna é uma poderosa ferramenta para fazer do colaborador um aliado da companhia e, com isso, manter a produtividade alta.

4. Gestão de Conteúdo: manter os canais de comunicação atualizados é primordial e ganha ainda mais relevância se há crise. Uma boa estratégia aliada a um plano de comunicação bem alinhado com os diversos departamentos da empresa auxiliam na diversificação das notas de um blog, por exemplo, ou nas notícias que serão publicadas no site corporativo. Quanto maior a abrangência das publicações menor o risco de interpretações negativas ou polarização da informação.

Por isso, antes de cortar a verba da comunicação para se adequar ao orçamento que foi reduzido, é importante avaliar qual será o impacto desta ação para a imagem, engajamento e relacionamento da companhia. Muitas vezes, a comunicação que é subestimada, pode ser a “tábua de salvação” por ser uma ferramenta de diferenciação e credibilidade.

São as estratégias de comunicação que garantirão a visibilidade da marca e o reforço do posicionamento junto aos diversos públicos com os quais se deve conversar.

Gostou do artigo?